uber-agressao-sexual

Relatório da Uber aponta quase 6 mil relatos de agressão sexual entre 2017 e 2018

Só em 2018 foram 3.045 denúncias registradas, sendo 235 reportadas como estupro e 280 como tentativas de estupro

por Soraia Alves

Pela primeira vez, a Uber apresentou um relatório de segurança sobre as corridas realizadas e vinculadas ao aplicativo. Segundo a empresa, durante os anos de 2017 e 2018 foram registrados 5.981 denúncias de agressão sexual feitas por passageiros e motoristas que usam o app.

De acordo com o documento, só em 2018 foram 3.045 denúncias registradas. Dessas, 235 foram reportadas como estupro e 280 como tentativas de estupro. O restante das agressões sexuais foram descritas como toque não consensual em uma parte do corpo (categoria com mais reclamações), beijos e outras tentativas de contato físico.

42% desses relatos de agressão sexual foram reportados à Uber por motoristas, que reclamam especialmente sobre o contato físico não consensual. Por outro lado, 45% das denúncias acusam os motoristas de comportamento inadequado.

O relatório ainda aponta que 10 pessoas foram assassinadas durante corridas da Uber em 2017, e 49 pessoas morreram em acidentes de carro também durante viagens. Em 2018 foram 9 assassinatos e 58 mortes por acidente de trânsito.

A Uber fecha o relatório “sincerão” ressaltando que esses graves problemas de segurança representam “apenas” 0,0003% do total corridas feitas no período analisado. Segundo o diretor jurídico da empresa, Tony West, não há surpresa com os resultados: “A violência sexual é muito mais difundida na sociedade do que acho que a maioria das pessoas imagina”, comentou em entrevista à NBC. West ainda completou que os dados são importantes para criar meios de tornar as viagens mais seguras para motoristas e passageiros.

Compartilhe: