Spike Lee será o primeiro negro a assumir a presidência do júri do Festival de Cannes

Spike Lee será o primeiro negro a assumir a presidência do júri do Festival de Cannes

"Perspectiva valiosa" e "personalidade extravagante" são citados pela organização como principais fatores na escolha do diretor, que venceu o grande prêmio do júri em 2018 por "Infiltrado na Klan"

por Pedro Strazza

Depois de rumores se espalharem nas redes sociais na noite de segunda (13), a organização do Festival de Cannes confirmou nesta terça-feira que o estadunidense Spike Lee foi escolhido como presidente do júri da 73° edição do evento. Além de ser o primeiro norte-americano a assumir o cargo desde os irmãos Coen em 2015, Lee será o primeiro presidente negro da história do festival fundado em 1946.

No anúncio, o presidente da organização Pierre Lescure e o delegado geral Thierry Frémaux escrevem que a escolha por Spike Lee se deu em cima de sua perspectiva “mais valiosa do que nunca”, acrescentando que sua “personalidade extravagante” deve mexer com as estruturas tradicionais do evento. Já o cineasta descreve Cannes como o festival de cinema mais importante do mundo hoje e declara que o evento mudou o curso de sua trajetória a ponto de “transformar quem ele era no cinema mundial”.

Embora tenha passado um período de 22 anos longe da Croisette, a história do diretor de fato tem algumas ligações importantes em Cannes. Antes de receber uma menção especial e o grande prêmio do júri em 2018 por “Infiltrado na Klan”, Lee foi incluído outras cinco vezes na programação oficial do festival, incluindo a mais famosa em 1989 quando seu “Faça a Coisa Certa” se tornou um dos grandes queridinhos da seleção oficial – ainda que tenha sido esnobado na premiação daquele ano pelo júri liderado por Wim Wenders, que acabou escolhendo laurear o “Sexo, Mentiras e Videotape” de Steven Soderbergh com a Palma de Ouro.

O próximo Festival de Cannes acontece entre os próximos dias 12 e 23 de maio.

Compartilhe: