Greenpeace cria alerta para crise dos oceanos em comercial produzido pela Aardman

Vídeo conta história de família de tartarugas cuja vida é destruída pela ação humana

por Pedro Strazza

O Greenpeace lançou nos últimos dias uma petição online que pede às autoridades de todo o globo novas medidas oficiais que possibilitem a criação de mais santuários oceânicos ao redor do planeta, afim de preservar os ecossistemas hoje ameaçados pelas múltiplas ameaças geradas por seres humanos. O objetivo, como bem diz o documento “Proteja os Oceanos”, é que se possa proteger mais de um terço do mundo marinho enquanto se pede que os governos se reúnam para discutir a criação de um Tratado Global dos Oceanos.

E para divulgar a petição, a ONG firmou uma parceria com o celebrado estúdio de animação inglês Aardman para um comercial que leva o público diretamente para a perspectiva das criaturas que se encontram ameaçadas em seus próprios lares. Produzida em forma de animação stop-motion, a peça “Jornada das Tartarugas” conta a história de uma simpática de tartarugas que certo dia vê sua vida transformada para sempre na volta para casa – confira acima.

Além da produção de luxo que é o toque das “massinhas da Aardman”, o comercial também conta com um elenco de vozes para lá de estrelado, incluindo nomes como Olivia Colman, Helen Mirren, David Harbour e Jim Carter. De acordo com a chefe de campanhas relacionadas a oceanos da Greenpeace do Reino Unido, Louisa Casson, a ideia em reunir tantas vozes criativas celebradas na cultura pop era justamente de chamar o máximo de atenção possível para a causa.

“A popularidade global da Aardman e sua mistura distinta de humor e emoção é capaz de levar esta mensagem para pessoas ao redor de todo o globo, gerando assim ações ousadas para proteger os oceanos” escreve a executiva, que também comenta que um tratado sólido sobre o tema poderia “pavimentar o caminho para uma rede global de santuários oceânicos totalmente protegidos, garantindo que 30% dos mares estariam fora de acesso à exploração humana e permitindo que espécies marinhas como as tartarugas pudessem ter uma chance de se recuperar”.

Você pode assinar a petição do Greenpeace aqui.

Compartilhe: