2019 foi o 2° ano mais quente já registrado, diz Organização Meteorológica Mundial

2016 era o recordista anterior graças ao El Niño, mas entidade afirma que a tendência agora é de piora

por Matheus Fiore

As mudanças climáticas vem afetando o clima do mundo não é de hoje. Recentemente, os principais países do mundo assinaram o Acordo de Paris, tentando reduzir a emissão de gases estufa a partir de 2020 e readequar seus modelos de desenvolvimento para um modelo mais sustentável.

Apesar desse esforço, a situação continua piorando. Como reporta a Reuters, a Organização Meteorológica Mundial afirma que, dentro de seu registro, só houve um ano mais quente do que 2019, que foi 2016. A organização utiliza dados próprios e também de fontes como a NASA e o UK Met Office, que é a organização meteorológica do Reino Unido.

A temperatura média global foi de 1.1 Cº. “A Austrália teve seu ano mais quente e seco em 2019, o que explica o cenário atual de incêndios devastadores na região, que afetam a população e prejudicam ecossistemas e todo o meio-ambiente”, afirma Pettery Taalas, secretário-geral da Organização Meteorológica Mundial.

As previsões são desanimadoras. O ano de 2020 e as próximas décadas devem ser tão intensos quanto 2019 ou ainda piores, principalmente pelo acúmulo de gases na atmosfera. Anteriormente, o ano mais quente havia sido 2016, muito por conta pelo El Nino, fenômeno atmosférico-oceânico caracterizado por um superaquecimento das águas do Oceano Pacífico.

Compartilhe: