Dona da Yellow e da Grin, Grow reduz presença no Brasil e passa a atuar em apenas 3 cidades do país

Das 17 regiões onde até então atuava, startup agora passa a ter presença apenas em São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba

por Pedro Strazza

Startup de mobilidade que ficou conhecida pelas bicicletas e patinetes elétricos da Yellow e da Grin, a Grow anunciou na última quarta-feira (22) que irá promover um processo de “reestruturação” que acarretará em um enxugamento da operação da companhia no Brasil. A Grow declara que também está buscando firmar “parcerias públicas e privadas para fortalecer e expandir” sua área de atuação.

Divulgado como uma forma de realizar um “ajuste operacional” que permita à empresa a continuar “prestando serviços de forma estável, eficiente e segura”, a reorganização inclui a retirada de circulação imediata de todas as bicicletas de ambas as marcas para o que se define como um “processo de checagem e verificação das condições” de cada unidade.

Além disso, a Grow irá reduzir sua presença no país, incluindo o fim das atividades em 14 das 17 cidades onde atuava até então. Enquanto as cidades de Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Florianópolis, Goiânia, Guarapari, Porto Alegre, Santos, São Vicente, São José dos Campos, São José, Torres, Vitória e Vila Velha não verão mais patinetes e bicicletas da Grin e da Yellow em suas ruas, a startup continuará a operar normalmente em São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba. Espera-se que o recolhimento das unidades seja para definir os transportes que continuarão em uso nestas capitais.

A decisão naturalmente acarreta em uma série de demissões no quadro de funcionários – o StartSe afirma que serão 600 desligamentos. “Planejar essa reestruturação nos colocou diante de decisões difíceis, porém necessárias para aperfeiçoar a oferta de nossos serviços e consolidar a nossa atuação na América Latina.” escreve o CEO Jonathan Lewy no comunicado; “O mercado da micromobilidade é fundamental para revolucionar a forma como as pessoas se locomovem nas cidades e continuamos acreditando que esse mercado tem espaço para crescer na região”.

Todo este procedimento em parte recai sobre uma aparente crise que se instalou na Grow nos últimos meses. De acordo com a VEJA, a empresa perdeu recentemente um investimento de 150 milhões de dólares da SoftBank e passa por uma espécie de debandada de seus executivos principais.

Compartilhe: