Depois de reclamações, Google volta atrás em atualização de sistema de buscas para o desktop

Nova interface despertou polêmica por confundir identidade visual do que seria resultado da busca com publicidade da plataforma

por Pedro Strazza

O Google na semana passada promoveu discretamente uma atualização de seu buscador na versão para desktop que vinha prometendo desde maio de 2019 realizar. A medida em teoria equalizava o design da plataforma em todos os formatos, aplicando a nova resolução de identificar visualmente os links exibidos nos resultados a partir de favicons exibidos na lateral esquerda.

A questão é que enquanto no meio mobile as alterações promovidas no layout faziam sentido, no computador a atualização gerava um problema básico: ficava extremamente difícil determinar a olho nu que links eram resultados e quais seriam “links patrocinados” – ou seja, publicidade veiculada pelo buscador. O favicon sozinho não era suficiente para fazer a distinção, o que obviamente gerou uma onda de críticas à companhia nos últimos dias.

O Google parece ter percebido o backlash, porém, pois nesta sexta-feira (24) a companhia divulgou um comunicado em que diz estar voltando atrás na nova interface para o desktop. A atualização, no caso, vai se tornar um experimento da empresa com o buscador, que vai se alternar entre o esquema dos favicons e o modo tradicional.

“Nós sempre queremos tornar o buscador melhor, então nós vamos começar a experimentar algumas posições novas para os favicons” escreve a companhia no release, onde acrescenta que o novo design teria sido bem recebido tanto pelos usuários no mobile quanto entre os publishers da web, que teriam gostado de ver sua marca “melhor exposta nos resultados da plataforma”.

Leia abaixo o comunicado na íntegra.

O Google confirma que os testes se darão “nas próximas semanas” e à partir de hoje, 24 de janeiro, com as mudanças já podendo ser observadas pelos usuários – incluindo aí a remoção do polêmico ícone para alguns.

Compartilhe: