Tráfego do Cloudflare já aumentou 10% nas regiões afetadas pelo coronavírus

Número chega a 30% na Itália, onde quarentena nacional forçou a população a ficar presa em casa

por Pedro Strazza

Conforme a pandemia do coronavírus atinge mais e mais pessoas, é apenas natural que aumente o número de pessoas confinadas em casa por questão de quarentena ou precaução. Enquanto governos e prefeituras já emitem restrições a aglomerações públicas, empresas de todo porte também aplicam o home office a todo o quadro de funcionários para tentar barrar a disseminação do vírus – e assim conter a crise até que uma vacina ou cura seja encontrada pela medicina.

E com tanta gente trabalhando de casa, é apenas natural que o tráfego da rede aumente. Quem já detectou os primeiros sinais dessa tendência é o Cloudflare, empresa de infraestrutura e segurança da rede que afirma que suas redes ganharam um adicional de 10% de acessos nas regiões afetadas pela pandemia.

A informação foi lançada em um post no blog oficial da companhia e não é o único dado intrigante. De acordo com a Cloudflare, o tráfego da rede não apenas se intensificou como também tem ocorrido mais cedo no dia – ainda que dados específicos não tenham sido divulgados ao público. A empresa também diz que a movimentação online cresceu já 30% na Itália desde que o país declarou quarentena nacional a toda a população, infectada ou não.

A preocupação do Cloudflare não está no maior número de gente acessando os sites monitorados e protegidos – a empresa diz ter uma infraestrutura pronta para lidar com o inchaço, pelo menos – mas sim na crescente de ameaças online construídas em torno do pânico do COVID-19. A companhia também anunciou que vai liberar acesso à sua plataforma Cloudflare for Teams para auxiliar os negócios afetados pelo coronavírus, ajudando assim a economia mundial a se manter ativa durante estes dias turbulentos.

Compartilhe: