Número de corridas caiu 70% nas grandes cidades impactadas pelo coronavírus, afirma Uber

CEO também confirmou que empresa tem até US$ 10 bilhões em caixa para lidar com os prejuízos gerados pela crise provocada pela pandemia

por Pedro Strazza

A quantidade crescente de pessoas ficando em casa para não ajudar a disseminar o coronavírus obviamente segue mexendo com o mercado, em especial as companhias que tocam seus negócios nas ruas. É o caso do Uber, que nesta quinta-feira confirmou em reunião com acionistas uma queda abrupta de até 70% na quantidade de corridas feitas em grandes cidades atingidas pela pandemia.

A informação veio do próprio CEO Dara Khosrowshahi, que na conferência fez questão de salientar que ele acredita que a empresa está “bem posicionada” para lidar com os problemas decorrentes da crise, incluindo aí cenários apocalípticos de baixas de até 80% nas corridas para o resto do ano. A aposta parece estar na entrega de bens de consumo básicos e remédios do Uber Health, com o executivo comentando que o Uber já está em contato com o setor de saúde “e tem todos os processos” necessários para viabilizar o projeto.

Khosrowshahi também afirma que a companhia conta com um caixa abastado para lidar com os prejuízos recorrentes das próximas semanas, com US$ 10 bilhões à mão permitindo que a empresa funcione nos cenários mais pessimistas – o citado acima, por exemplo, ainda deixaria 4 bilhões de dólares intocados. “O mais importante a se saber agora é que nós estamos bem posicionados para navegar pela crise e emergir dela ainda mais fortes” disse o CEO no evento; “Nós temos ampla liquidez. Nós temos uma estrutura de custo variável alta, uma pegada global, múltiplas linhas de negócio que nos dão alguma diversidade e estudos de caso do quão rápido nossas empresas vão se recuperar após um choque deste tamanho. Tudo isso nos dá confiança”.

Enquanto as declarações do CEO fizeram as ações do Uber subirem 28% após a reunião, a empresa segue dedicada em ajustar o negócio à nova realidade. Além do Uber Eats se tornar o principal aplicativo da companhia, o serviço regular do Uber também já confirmou medidas de remuneração a motoristas que declararem licença médica durante a pandemia.

Compartilhe: