Contra desinformação, WhatsApp anuncia novas restrições no compartilhamento de mensagens

Plataforma agora vai identificar mensagens compartilhadas em massa e limitar seu encaminhamento a um grupo por vez

por Pedro Strazza

O WhatsApp anunciou nesta terça (7) uma nova leva de atualizações que busca limitar ainda mais a disseminação de desinformação na plataforma. A mudança mais importante é justo o compartilhamento de mensagens para outros grupos: a partir de agora, a rede social vai limitar a um chat por vez a divulgação de itens que forem passados mais que cinco vezes para frente e identificar estes com o sinal de duas setas duplas.

A razão para alteração está associada aos efeitos da pandemia do coronavírus, claro. Em seu blog oficial, a companhia escreve que vem detectando um aumento significativo no número de mensagens trocadas na plataforma e que, embora estas sejam em sua maioria inocentes, elas tem ajudado a aumentar de novo a proliferação de informações falsas. “Acreditamos que é importante desacelerar a disseminação de mensagens encaminhadas para que o WhatsApp continue sendo um espaço seguro para conversas pessoais.” afirma a companhia na publicação.

O comunicado também inclui outra informação interessante: desde que instituiu o limite de encaminhamento a cinco grupos por vez no início do ano passado, a rede social viu uma diminuição de até 25% no compartilhamento geral de mensagens, um número que sem dúvida significa alguma redução nas fake news dentro da plataforma – o WhatsApp não divulgou dados extras sobre o tema, entretanto.

A preocupação da empresa do Facebook com o tema não vem à toa. Antes da crise do coronavírus reaquecer a discussão, o WhatsApp já vinha encarando problema sérios relativos a desinformação graças à combinação mortal da encriptação rígida do software e a falta de gerenciamento – uma cuja vítima maior foi a Índia, que registrou até caso de linchamento em decorrência das fake news promovidas no app.

Problemas do tipo continuam acontecendo na rede, mas o WhatsApp tem sido mais rígido nas ações de controle sobre o tema. Além do novo limite para compartilhamento, a companhia em meados do mês passado lançou uma divisão especializada no combate à desinformação em torno da pandemia e agora também prevê a criação de um bot junto da Organização Mundial da Saúde e diversas organizações governamentais para “ajudar a levar informações confiáveis à população”.

Compartilhe: