Nos EUA, mercado de carnes à base de planta tem crescimento de 264% durante pandemia

Período entre março e começo de maio registrou alta na procura para compensar a falta de carne animal nos mercados

por Matheus Fiore

Durante a pandemia do novo coronavírus, diversos tipos de alimento tem sido comprados em uma quantidade muito superior à usual. As pessoas têm feito grandes estoques para se preparar para o isolamento e para um possível lockdown em suas cidades. Nos Estados Unidos, a carne à base de planta foi um desses alimentos, e apresentou um crescimento nas vendas de 264% a partir do mês de março.

Segundo o The Wall Street Journal, isso acontece pois a demanda pela carne animal está maior do que a oferta, fazendo com que o alimento se esgote rápido nos estoques dos comércios. Como resposta, os consumidores acabam comprando o mais próximo de uma carne animal que podem encontrar: a carne à base de planta, que se aproxima tanto em gosto quanto em textura.

O crescimento aconteceu por um período de nove semanas que começou no mês de março, justamente quando a pandemia começou a afetar mais severamente os Estados Unidos. O primeiro grande pico registrado foi de 206% no crescimento de vendas durante a primeira semana de março. No dia 14, o índice chegou a ter um aumento de 279%.

No Brasil, ainda não há um levantamento que aponte como o mercado dos alimentos de carne à base tem se portado durante a pandemia. É de se imaginar, porém, que não haja um crescimento tão grande, visto que é um nicho mais recente no Brasil do que nos Estados Unidos e com menos oferta.

Compartilhe: