Depois de “O Irlandês” na Netflix, próximo filme de Martin Scorsese será produzido pela Apple

Paramount continua a bordo como distribuidora nos cinemas, mas "Killers of the Flower Moon" agora deve virar um "filme original" da Apple TV+

por Pedro Strazza

É triste verbalizar isso, mas nos últimos anos parece que todo e qualquer projeto que o diretor Martin Scorsese almeje realizar passa por algum tipo de grande novela envolvendo financiamento. Depois de “Silêncio” demorar 30 anos para ser feito e “O Irlandês” só conseguir chegar aos cinemas depois que a Netflix assumiu a bronca do orçamento, o drama da vez envolve “Killers of the Flower Moon”, que reúne o cineasta com os atores Leonardo DiCaprio e Robert De Niro mas perdeu a ancoragem na Paramount Pictures depois que o estúdio resolveu não bancar o alto orçamento da produção – que aparentemente figura na casa dos US$ 180 e US$ 200 milhões.

A salvação da vez, pelo visto, é a Apple. De acordo com o Deadline, a companhia estaria fechando negócio com Scorsese e o estúdio para assumir a produção do projeto, vendendo o filme como um “um filme original Apple” para seu serviço de streaming, o Apple TV+. A Paramount está prevista para continuar no negócio, porém, mantendo-se responsável pela distribuição do longa nos cinemas ao redor do globo.

A resolução acontece depois de algumas semanas do que soa como uma “guerra de preços” entre estúdios e distribuidoras para comprar os direitos, incluindo além da Apple a Netflix, a MGM e a Universal. Ela também surge num momento que a companhia do Vale do Silício mostra-se cada vez mais agressiva nos negócios, com a empresa tendo recentemente assumido a distribuição do drama de guerra “Greyhound” da Sony Pictures e comprado os direitos de transmissão de todas as temporadas da série “Fraggle Rock” – manobras que por sua vez confirmam reportagens recentes do Bloomberg sobre uma mudança no procedimento de aquisição de propriedades para o catálogo.

O filme de Scorsese soa como o maior negócio da Apple das últimas semanas, entretanto, ainda mais vide o potencial todo envolvido. Além do diretor e a reunião com dois atores muito importantes de sua carreira, “Killers of the Flower Moon” é em si um projeto bastante alardeado desde a compra de sua adaptação para o cinema, quando a Imperative Entertainment dos produtores Dan Friedkin e Bradley Thomas desembolsou uma soma de 5 milhões de dólares pelos direitos do livro homônimo escrito por David Grann – mesmo autor de “Z: A Cidade Perdida”. Tratado como faroeste, a história envolve uma série de assassinatos de indígenas estadunidenses no começo de 1920, com a investigação subsequente do FBI se tornando um momento crucial para a história da descoberta do Oeste do país.

Além de todos os nomes citados, Eric Roth também está a bordo do filme como roteirista. Como tudo no mundo, a produção encontra-se paralisada no momento devido à pandemia do coronavírus, mas a Variety reporta que o longa pode demorar ainda mais para sair caso DiCaprio decida se envolver com outros projetos, incluindo aí o próximo trabalho de Adam McKay que já conta com Jennifer Lawrence e Cate Blanchett no elenco.

Compartilhe: