Apple_The-Morning-Show-Premiere_Jennifer-Aniston-Tim-Cook-Reese-Whiterspoon_102819

Apple TV+ começa a comprar filmes e seriados antigos para competir no mercado de streaming

Apple já teria conseguido os direitos de algumas produções importantes, embora nenhuma grande franquia esteja nos planos

por Pedro Strazza

Uma reportagem lançada pela Bloomberg nesta terça-feira (19) revela que a Apple começou a silenciosamente negociar e adquirir nas últimas semanas uma série de filmes e seriados antigos para seu serviço de streaming, o Apple TV+, de forma a aumentar a competitividade da plataforma contra a concorrência. Embora títulos não tenham sido divulgados, fontes do veículo relatam que os executivos de programação em vídeo da companhia vem realizado reuniões de propostas com os principais estúdios de Hollywood e já teriam conquistado algumas licenças importantes para o catálogo da empresa, ainda que os direitos de nenhuma grande franquia estejam garantidos.

O movimento faz todo o sentido na realidade atual do mercado, mas é novo dentro do que a empresa havia se proposto a fazer com o streaming. Desde o lançamento em novembro, o Apple TV+ vem focando exclusivamente na criação de uma linha de conteúdos originais, uma premissa que embora continue firme e forte na companhia agora percebeu que a sobrevivência da plataforma também reside na existência de outros produtos pré-existentes.

O público decide assinar um serviço não apenas pelas novidades que carrega, afinal, e essa constatação se tornou a tônica do noticiário nos últimos meses a partir da guerra fiscal pelos direitos exclusivos de transmissão de conteúdos como “Seinfeld”, os filmes do Studio Ghibli e até “Big Bang Theory”. Mas enquanto plataformas como a Netflix e a HBO Max correram atrás destes conteúdos, a Apple TV+ se manteve firme no desejo de se tornar uma central de plataformas, com acordos firmados com o Starz, a HBO e o Showtime.

A questão é que este plano a longo prazo dá todos os indícios de que não irá funcionar. Embora estudos registrem uma base de assinantes na altura dos 33 milhões de usuários e mesmo com uma mensalidade baixa de US$ 4,99, a esmagadora maioria hoje só possui uma conta por conta da estratégia de gratuidade anual a quem comprou um aparelho da marca, além de menos da metade de fato utilizar o serviço. Com um risco tão alto, está na hora mesmo do Apple TV+ reformular seu jogo.

Compartilhe: