Cientistas no Reino Unido criam IA para explorar estrelas e descobrir origem da Via Láctea

Método de pesquisadores da Universidade de Leeds analisa protoestrelas para identificar sua formação e origem

por Matheus Fiore

Um grupo de cientistas da Universidade de Leeds, no Reino Unido, criou um sistema de Inteligência Artificial que analisa as estrelas para encontrar rastros e pistas da formação da nossa galáxia, a Via Láctea. As descobertas foram feitas analisando imagens coletadas pelo satélite Gaia, lançado pela Agência Espacial Européia em 2013 para criar um mapa 3D da nossa galáxia.

Segundo o TheNextWeb, os pesquisadores aplicaram técnicas de aprendizado autônomo, para que a Inteligência Artificial estudasse os dados coletados e se educasse de forma independente para encontrar novos padrões e dados em cima do contúdo analisado. Como resultado, o sistema encontrou mais de 2000 protoestrelas. Protoestrelas são objetos considerados protótipos de uma estrela, formados majoritariamente por hidrogênio e hélio, mas que ainda não alcançaram o tamanho para ser categorizados como estrelas.

A equipe reduziu os dados coletados por Gaia para um subconjunto de 4,1 milhões de estrelas que provavelmente conteriam os protoestrelas alvo. A partir desse processo, o sistema de Inteligência Artificial digitalizou os dados a fim de criar uma lista de 2.226 estrelas que provavelmente eram protoestrelas. Por fim, eles validaram os resultados investigando 145 das estrelas identificadas em observatórios terrestres na Espanha e no Chile, onde puderam medir a luz proveniente dos astros. Como resultado, o método permite que eles identifiquem quais estrelas terão quais classificações conforme cumpram seus ciclos.

Miguel Vioque, pesquisador responsável por liderar o estudo, afirmou: “Nós estamos combinando novas tecnologias na maneira como pesquisadores realizam suas pesquisas e mapeiam a galáxia com formas de analisar a montanha de dados produzidos pelo telescópio – e isso está revolucionando nossa compreensão da galáxia”. Com as novas ferramentas e resultados, Vioque e sua equipe acreditam que poderão ter um estudo muito mais aprofundado das origens da Via Láctea e da história de nosso sistema solar.

Compartilhe: