Sob pressão do governo, Apple remove Pocket Casts da App Store na China

Sob pressão do governo, Apple remove Pocket Casts da App Store na China

Banimento aparentemente acontece porque plataforma se recusou a remover conteúdos e podcasts relacionados aos protestos sobre a morte de George Floyd

por Pedro Strazza

Um dos agregadores de podcast mais populares do iOS, o Pocket Casts foi removido da App Store na China pela Apple nesta quinta-feira (11). A ação ocorreu depois que um dos órgãos reguladores do país, a Administração do Ciberespaço, pediu a retirada do serviço da plataforma por “incluir conteúdo que é ilegal na China”.

Em pronunciamento sobre o caso, o Pocket Casts escreve em suas redes sociais que acredita que o meio “é e deve permanecer uma mídia aberta, livre da censura do governo” e que “não iria censurar conteúdos a pedido” dos reguladores chineses, sugerindo que a causa do banimento se deu em cima de programas que desagradavam os censores. “É um passo necessário a se fazer para qualquer companhia que valoriza o modelo de distribuição aberta que faz o podcast tão especial” finaliza a plataforma no comunicado.

Ao Engadget, o aplicativo também comenta que só a Apple sabe qual tipo de tema estava na mira do órgão, mas que acredita que o que o governo quis remover programas específicos e “possivelmente alguns dos conteúdos de Black Lives Matter” que a plataforma lançou nos últimos tempos. A situação é similar ao Castro Podcasts, outro agregador que foi banido recentemente no país por conta do seu apoio aos protestos pela morte de George Floyd.

A censura sempre foi um problema ao mercado no território chinês, mas a questão preocupante da vez é que a Administração do Ciberespaço parece estar mais sensível sobre o que pode e não pode ser veiculado no país. Ao TechCrunch, um porta-voz do Pocket Casts escreve que “A quantidade pequena de avisos que nós recebemos entre haver um problema e nosso aplicativo ser removido por completo da App Store chinesa foi bastante preocupante”, dando sinais de que a regulação governamental pode estar acentuando na região.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link