Heineken e Wickbold vão produzir 2 milhões de pães para famílias vulneráveis pela pandemia

Cerca de 40 toneladas do alimento serão doados ao Banco de Alimentos em São Paulo, com direito a uma fórmula nova desenvolvida pela Wickbold para aproveitar o malte da Heineken

por Pedro Strazza

A Heineken e a Wickbold anunciaram esta semana uma nova iniciativa que busca ajudar famílias carentes ou em posição vulnerável pela pandemia do coronavírus. A iniciativa “Fornada do Bem” no caso vai usar parte do malte da fabricante de cerveja para produzir 40 toneladas em fatias de pão para consumo do público nestas condições.

De acordo com as empresas, o projeto vai destinar todo o volume – que na prática representa 2 milhões de fatias e 1 milhão de sanduíches – à ONG Banco de Alimentos no estado de São Paulo. O montante é fruto da doação de 3 toneladas de malte da Heineken, que passarão por processos de moagem específicos da fabricação de pão para depois entrarem na linha de produção da Wickbold – que declara ter formulado uma receita exclusiva à iniciativa, já que o malte atualmente só está incluído na criação dos pãos de hambúrguer do portfólio da companhia.

O “Fornada do Bem” é mais uma ação beneficente que a Heineken realiza neste momento de pandemia. Além da produção de pães com a Wickbold, a companhia também se juntou à Unilever e outras empresas para ajudar favelas na prevenção da doença, além de ter montado um projeto de auxílio financeiro a bares e restaurantes brasileiros durante o momento crítico do isolamento social – uma iniciativa que injetou mais de cinco milhões de reais ao mercado.

“Seguimos nosso compromisso de continuar articulando frentes para minimizar as consequências desta crise.” escreve o CEO da Heineken no Brasil, Mauricio Giamellaro, na divulgação da nova ação, onde ainda comenta que o “Fornada do Bem é mais um exemplo de parceria inédita e inovadora para ajudar centenas de pessoas”.

Compartilhe: