Autorizado pela Comissão Europeia, compra da Endemol pela Banijay forma maior produtora fora dos EUA

Sob tutela exclusiva da LOV Group, fusão das duas empresas envolve mais de 300 estúdios e subsidiárias para gerar uma receita anual de US$ 3,4 bilhões

por Pedro Strazza

A Comissão Europeia autorizou nesta quarta (1) a compra da holandesa Endemol Shine Group pela francesa Banijay Group pelo valor de US$ 2,2 bilhões, depois de realizado nas últimas semanas uma investigação para garantir que o acordo não feria quaisquer regulações antitruste do mercado. A decisão não apenas permite a fusão entre as duas empresas como forma o que é o maior estúdio de produção fora dos Estados Unidos – que também já liberaram a realização do negócio.

De acordo com o documento oficial liberado pela Comissão Europeia, a compra da Endemol “não levanta preocupações de competição dado a presença de um número significativo de competidores alternativos com um portfólio similar em termos de conteúdo nos países envolvidos”. Desde outubro sendo finalizada, a união se dá pelas vias da LOV Group, que deve se tornar a única dona dos dois estúdios após comprar as ações das francesa Vivendi e Fimalac, a italiana DeAgostini e outras envolvidas menores.

A quantidade de conteúdos reunidas sob o poder de uma mesma empresa é sem dúvida impressionante. Enquanto a Banijay sozinha já possuía cerca de 200 produtoras distribuídos em 23 territórios distintos e com um total de cem mil horas de conteúdos gerados – incluindo títulos populares como “Peaky Blinders” e o “Black Mirror” original – a Endemol providencia agora o acesso a mais 120 estúdios e 66 mil horas de programação roteirizada e não roteirizada, além de 4300 formatos registrados juridicamente – como os reality shows “Big Brother”, “MasterChef” e “Survivor”.

Nas finanças, a expectativa é que a combinação dos dois grupos gere uma receita de cerca de US$ 3,4 bilhões ao ano.

Compartilhe: