Novo carrinho de mercado inteligente da Amazon fecha compra do mês sozinho

Novo Dash Cart da companhia ainda permite que cliente importe sua lista de compras da Alexa e escaneia todos os itens colocados em seu interior

por Pedro Strazza

Depois de automatizar os caixas de mercado do Amazon Go, a Amazon agora quer fazer o mesmo com os carrinhos de compras. A companhia anunciou nesta terça (14) o Dash Cart, uma versão inteligente do item que geralmente segura as compras do público quando na busca para abastecer a casa dos itens essenciais.

O carrinho visualmente é idêntico a todos os outros já vistos e conhecidos, mas conta com alguns aparatos como uma tela sensível ao toque e sensores, cuja missão é primariamente detectar o tipo e quantidade de itens que o usuário está comprando. A parte maneira, porém, é que o carrinho conta com um sensor que quando mergulhado numa avenida específica ele automaticamente finaliza sozinho a compra do cliente, se encaminhando sozinho para um dos caixas automáticos da loja.

De acordo com o The Verge, este sistema é possível porque o usuário ao assumir um carrinho do tipo precisa “logar” com sua conta da Amazon no celular e sincronizar o aparelho com a telinha no recurso. O “veículo” ainda conta com um scanner de cupons e permite que o usuário importe a lista de compras feitas na Alexa.

Embora soe como o tipo de aparato ideal à rede do Go, o aparelho por enquanto será testado apenas em uma unidade tradicional da Amazon em Los Angeles. A razão é simples: a tecnologia ainda não está pronta para um uso mais intenso, conforme o carrinho por enquanto suporta apenas o equivalente a duas sacolas de itens, além da companhia não saber no momento se o serviço será abraçado pelo público – ainda mais no momento atual da pandemia.

Há ainda a questão da privacidade que vem junto com o sistema de câmeras e rede utilizados pelo carrinho. No caso da relação com os clientes, o teste em uma loja tradicional permite que a Amazon veja se os usuários não se sentiriam invadidos de contar com uma vigilância extra acontecendo em um momento que em teoria eles estariam fora do alcance da internet e concentrados apenas em manter a casa abastecida – afinal, a sociedade quer mesmo estar online em absolutamente todos os momentos, incluindo os mais mundanos?

Compartilhe: