Enquanto TikTok está para ser banido dos EUA, Snapchat lança ferramenta musical de edição

Rede social alega que nova função serve para formar conexões mais profundas, mas os recursos são idênticos ao utilizados hoje pela rival

por Pedro Strazza

Um dia de caça, outro de caçador: depois de anos sofrendo as consequências de ter sua plataforma copiada pelo Instagram, o Snapchat agora resolveu aprender com o Facebook e vai lançar uma ferramenta que é muito similar às capacidades de edição do TikTok. A função anunciada pela rede social nesta terça (4), afinal, permite que o usuário reaproveite suas publicações com mixagens de música.

Embora as faixas em si não gerem feeds que reúnam posts com seu uso, a novidade deve permitir que os usuários repitam no Snapchat aquilo que já fazem no TikTok, incluindo a possibilidade de adicionar canções antes ou depois da gravação. O que a Snap Inc. promete de diferencial é a possibilidade do público conhecer as faixas dentro do aplicativo, que disponibilizará páginas inteiras para cada artista (além de conexões com streamings como o Spotify e o SoundCloud), e o “catálogo robusto” de músicas formado a partir de acordos com companhias grandes como a Warner Music Group, a Warner Chappell, a Universal Music Publishing Group, a NMPA e a Merlin.

Embora declare oficialmente que a função foi elaborada para permitir que o público compartilhe músicas com os amigos e forme conexões mais profundas a partir da arte, o Snapchat não esconde a influência do TikTok na criação, chegando a comparar a sua plataforma com a do aplicativo da ByteDance na hora de alegar que sua influência é das maiores dentro do ecossistema de redes sociais. No anúncio, a companhia chega a relatar que “alcança mais pessoas nos EUA que o Twitter e o TikTok combinados”, mesmo as duas empresas citadas tenham notadamente uma maior base de usuários.

Ainda de acordo com o Snapchat, o novo recurso deve ser testado nos mercados de língua inglesa no próximo trimestre, começando pela Nova Zelândia e a Austrália que já receberam a atualização hoje. O timing é a essência do negócio, dado que é uma coincidência grande demais que uma ferramenta dessas chegue a esses países no momento em que o TikTok encara um possível banimento nos Estados Unidos.

Compartilhe: