Além de segurança contra pandemia, protetor facial da Louis Vuitton funciona como óculos escuros

Face shield da marca francesa aplica uma camada de lentes fotocromáticas ao acrílico para permitir que os olhos do usuário sempre estejam confortáveis

por Pedro Strazza

Em um mundo onde a pandemia do coronavírus está longe de acabar e países tentam retomar alguma sensação de normalidade, itens como máscaras e protetores faciais deixam de ser itens excêntricos e passam a virar um vestuário recorrente no cotidiano das pessoas. Esse novo cenário explica porque grandes marcas do mercado começam agora a soltar suas próprias versões destes produtos mas, como é muito difícil reinventar a roda em aparatos que foram desenhados especificamente para garantir a segurança do usuário, faz sentido que estas empresas foquem em elementos paralelos destes.

É o caso da Louis Vuitton, que anunciou esta semana um protetor facial oficial de sua marca cujo grande atributo passa longe de um “visual” ou “estilo”: a possibilidade de usar o “escudo” de óculos escuros. O face shield da marca, afinal, aproveita a barreira física do item para inserir lentes fotocromáticas que automaticamente escurecem a visão do usuário quando este olha diretamente para o Sol – tudo para eliminar a necessidade do uso de óculos escuros atrás do protetor quando caminhando em dias iluminados.

Além das lentes acopladas ao acrílico, o protetor ainda conta com uma fita elástica ajustável para se segurar na cabeça do indivíduo, ligando-a com a proteção a partir de botões com a sigla da marca na cor dourada. O item ainda pode ser convertido em chapéu em locais onde o escudo não é necessário.

Embora a companhia não tenha confirmado um preço oficial, a Vanity Fair relata que o item pode custar em torno de US$ 961 nos Estados Unidos, um valor que por si só reforça o perfil luxuoso do item. A Louis Vuitton também já confirmou que o protetor fará parte da edição 2021 da linha Cruise, que começa a chegar às lojas oficiais da empresa a partir do próximo dia 30 de outubro.

Vale acrescentar que a Louis Vuitton não é a primeira a pensar nesse uso “atípico” do protetor facial. Em abril, o designer Joe Doucet chegou a anunciar um face shield chamado Vue Shield que atende a mesma demanda pintando uma camada de tinta escura na área onde os olhos do indivíduo ficam, cobrando apenas quarenta dólares por unidade.

Compartilhe: