13715_CC3735035316D4DD

Com sucesso da 2° temporada, Amazon vai produzir série derivada de “The Boys”

Enquanto série principal dobrou sua audiência ao longo do novo ano, spin-off deve focar atenções em escola de super-heróis

por Pedro Strazza

O cinema pode seguir sendo um problema para o Amazon Prime Video, mas o sucesso de “The Boys” reforça que o serviço de streaming está conseguindo chegar a algum lugar com as séries de televisão. Prova disso é que a companhia anunciou no fim desta quinta (24) que a série baseada nos quadrinhos de Garth Ennis e Darick Robertson vai ganhar um derivado.

A informação vem do Deadline e foi confirmada pelos produtores Seth Rogen e Eric Kripke nas redes sociais. Com roteiros escritos por Craig Rosenberg, produtor executivo da série principal, o novo programa deve ter como premissa a única escola de super-heróis do universo de “The Boys”.

O projeto é descrito pela Amazon como uma produção que “explora as vidas de supers hormonais e competitivos conforme eles testam seus limites físicos, sexuais e morais ao competir pelos melhores contratos das maiores cidades” com o resultado final sendo uma “mistura de ‘Jogos Vorazes’ com programa de colegial”. A produção fica a cargo da Sony Pictures Television e a Amazon Studios, com a Point Grey Pictures, Kripke Enterprises e Original Film incluídas como associados.

A parte mais interessante, porém, é que o programa já estava em desenvolvimento há um tempo e teve sua produção acelerada pelo streaming perante o sucesso crescente do segundo ano da “série mãe” no Prime Video. Segundo o Deadline, a atual temporada de “The Boys” não apenas é o maior lançamento da plataforma em termos de audiência como vem aumentando o público ao longo dos últimos dias, graças ao modelo de inaugurar um episódio por semana instaurado a partir deste ano. A segunda temporada inclusive dobrou o público do primeiro ano, registrando um crescimento de 89% na audiência.

O projeto que a Amazon ensaia para “The Boys” lembra muito o de “The Walking Dead” na Fox, que começou a lançar derivados e “expandir” o universo do seriado cinco anos depois de seu lançamento – e que agora pretende ser continuado mesmo com o fim da produção principal. Como na briga dos streamings o item maior é a atenção do público, faz sentido que já no segundo ano a empresa de Jeff Bezos já esteja testando limites para seu grande sucesso do momento.

Compartilhe: