quino_mafalda

Criador da Mafalda, Quino falece aos 88 anos

Cartunista é o artista de língua espanhola mais traduzido no planeta

por Pedro Strazza

O quadrinista argentino Quino faleceu na manhã desta quarta-feira, 30 de setembro, aos 88 anos de idade. A notícia foi dada por seu editor, Daniel Divinsky, ao jornal Clarín e em sua conta no Twitter. A causa da morte não foi divulgada ao público, mas o artista havia sofrido um derrame na semana passada.

Quino se tornou um nome internacionalmente reconhecido pela Mafalda, icônica personagem que habitou as tiras de jornal da Argentina entre 1964 e 1973. Batizado Joaquín Salvador Lavado, ele é hoje o artista mais traduzido da língua espanhola, com seus trabalhos disponíveis em mais de 35 línguas.

Filho de imigrantes espanhóis, Quino nasceu em 1932 na cidade de Mendoza, na Argentina, mesmo local onde morou em seus últimos anos de vida. Depois de passar alguns anos estudando na faculdade de Belas Artes da Universidade de Cuyo, ele trabalhou na publicidade até a criação da Mafalda, que estourou a partir do momento de sua veiculação no jornal Primera Plana – ele chegou a desenhar 1928 tiras em cima da personagem e seu universo de personagens, que inclusive renderam algumas adaptações para o cinema.

Quino ainda trabalharia em diversos projetos – alguns de forte cunho político, em especial nos anos 90 – até 2006, quando parou de desenhar regularmente devido a problemas de saúde. Além de passar por diversas cirurgias nas últimas décadas de vida, o artista também teve um glaucoma diagnosticado em 2010 que só se agravou ao longo dos anos – ainda mais com a morte da esposa Alicia Colombo em 2017.

De acordo com o El País, Quino não deixa filhos por opção tomada em conjunto com Colombo, cujo casamento durou quase trinta anos. Seu legado para os quadrinhos e à cultura, porém, é imenso.

Compartilhe: