cover-facebook (1)

Facebook anuncia banimento de propagandas antivacina

Empresa começa a se posicionar mais firmemente contra desinformação e teorias conspiratórias durante a pandemia do coronavírus

por Matheus Fiore

Após anos com conteúdo negacionista e antivacina circulando em suas plataformas, o Facebook Group finalmente começou a banir propagandas antivacina em suas plataformas. Por muito tempo, o debate foi negligenciado pela empresa de Mark Zuckerberg, que escolhia focar em outros assuntos relacionados às fake news publicadas na plataforma. Entretanto, diante da pandemia do novo coronavírus, o conteúdo antivacina teve um crescimento e obrigou a companhia a se posicionar.

“A pandemia da COVID-19 destacou a importância da prevenção e dos comportamentos saudáveis. Enquanto os experts da saúde pública concordam que não teremos uma vacina aprovada e de alcance mundial para a COVID-19 por algum tempo, há atitudes que podemos tomar para ajudar as pessoas a cuidar de sua saúde e segurança”, diz a introdução do texto de Kang Xing Jin, chefe de iniciativas de saúde do Facebook que promete incentivar quaisquer páginas e organizações que compartilhem conteúdo relevante e científico sobre saúde e, principalmente, o coronavírus.

Segundo o The New York Times, a empresa também está vasculhando a plataforma para encontrar e remover quaisquer conteúdos que promovam teorias conspiratórias antivacina. “Nosso objetivo é ajudar mensagens sobre segurança e eficácia de vacina a chegarem às pessoas, além de proibir propagandas que espalhem desinformação que possa causar mal à saúde pública”, completou Xing Jin no post no blog da empresa.

Em fevereiro, quando a pandemia começou a se tornar global, o Facebook já havia tomado medidas interessantes. A empresa, por exemplo, começou a banir propagandas com desinformação relacionada ao coronavírus. No mês seguinte, passou a oferecer anúncios gratuitos para organizações que informem corretamente sobre a COVID-19.

Compartilhe: