coronga-facebook

Facebook vai usar inteligência artificial para prever disseminação do coronavírus nos EUA

Rede social aprimorou plataforma para estudar o quanto um surto da doença pode afetar regiões próximas

por Matheus Fiore

O Facebook está utilizando inteligência artificial para mapear e prever a disseminação do coronavírus por todo o território americano. Segundo um relatório divulgado pelo próprio Facebook, o sistema é capaz de prever infecções com até 14 dias de antecedência, analisando tanto a natureza do vírus quanto os fatores sociais que influenciam seu comportamento.

Para desenvolver a técnica, o Facebook levou em conta as características inerentes ao novo coronavírus, além de ter treinado sua inteligência artificial com uma base de dados colhida ao longo dos últimos meses. Foram utilizados também dados públicos e anônimos colhidos durante o período da pandemia mundial, que ajudam a examinar e explicar elementos como a mobilidade e o distanciamento social.

Segundo o Engadget, o Facebook elaborou um “modelo neural autorregressivo” destinado a separar elementos regionais específicos de doenças. Com isso, a empresa é capaz de identificar o quanto uma região pode afetar as previsões de outras áreas ao redor, por exemplo. Assim, é mais fácil compreender como um surto de contágio da COVID-19 pode impactar nas regiões vizinhas e, com isso, previnir a disseminação do vírus.

Conforme o mundo trabalha no desenvolvimento de uma vacina segura e eficaz e aprende a lidar com o distanciamento social, empresas de tecnologia tem direcionados seus esforços para mapear e analisar o comportamento do vírus, a fim de prever mutações e novas ondas de contágio. Na Europa, por exemplo, alguns países que aparentemente haviam se recuperado da pandemia, já cogitam retornar para o isolamento total – ou lockdown –, pois vivem segundas ou até terceiras ondas de contágio.

Compartilhe: