fbpx
post-nude-1

Instagram altera políticas de nudez e passa a permitir fotos com seios femininos

Mudança também foi aplicada no Facebook e acontece depois de protestos de modelo, que teve publicações removidas da plataforma por fotos mostrarem braços e parte do peito

por Pedro Strazza

Nus sempre foram uma questão dentro das regras da comunidade do Instagram, mas um tópico em particular atrai maior discussão: por que uma rede social dedicada a fotos não permite que mulheres exibam os seios? O peito e mamilo da mulher não tem lugar na plataforma desde sua criação, o que pode até fazer sentido na busca da companhia para bloquear a entrada de conteúdo pornográfico mas é um problema se considerar que o torso masculino pode aparecer sem qualquer impedimento. Sem surpresa, a limitação gera acusações de censura há tempos.

Este cenário controverso vai se desfazer a partir desta semana, porém, conforme a rede social anunciou uma atualização de suas políticas de uso para permitir que publicações que contem a “área” do corpo descoberta sejam exibidas na linha do tempo. Segundo o The Guardian, tanto o Instagram quanto o Facebook vão liberar desta quarta (28) em diante a veiculação de imagens do tipo desde que estas sigam uma de três condições: os seios precisam estar sendo abraçados, acariciados ou segurados nas mãos.

A companhia ainda confirmou à Business Insider que vai pedir aos moderadores que não deletem publicações caso exista dúvida sobre o conteúdo encaixar ou não nas novas diretrizes. A única restrição são fotos onde os seios estão sendo apertados: “Nós temos que estabelecer um limite, então quando as pessoas apertam seus peitos em maneira de agarramento e com os dedos pressionados ou se há uma mudança clara no formato dos seios, o conteúdo ainda vai quebrar nossas regras” escreve um representante ao veículo.

A mudança acontece em virtude de uma campanha empreendida por Nyome Nicholas-Williams, modelo negra plus-size do Reino Unido que viu uma série de publicações de seu perfil ser deletada da plataforma por exibir seus braços e parte do peito – itens que eram permitidos a outros modelos brancos e magros. Depois de acusar a rede social de discriminação e censura, ela passou a publicar diariamente fotos que rompiam com as diretrizes para chamar a atenção ao problema com públicos marginalizados, num movimento que foi seguido por outros tantos influenciadores e criadores de conteúdo.

Enquanto Nicholas-Williams celebrou a mudança em um post em seu perfil, onde escreveu que “a esperança é de que esta mudança de política traga um fim à censura de corpos negros e gordos” e que ainda há um longo caminho para corrigir as injustiças do algoritmo, a gerente global de políticas da plataforma Carolyn Merrell comentou ao Engadget esperar que a alteração “ajude mais pessoas a se expressarem de maneira confiante”. “Talvez demore um tempo para garantir que nós estamos aplicando da maneira correta esta atualização, mas nós estamos comprometidos a fazer a coisa certa” diz a executiva.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link