fbpx
5d96050d0460b61f104bbcbc

Twitter e Facebook limitam alcance de posts de Donald Trump que declaram vitória antes do fim das eleições

Redes sociais buscam reforçar ao público que alegações do presidente são mentirosas e que a contagem dos votos ainda não acabou

por Pedro Strazza

As eleições presidenciais ainda estão em curso nos Estados Unidos e a contagem dos votos que vão decidir o próximo chefe do executivo segue distante de uma reta final, mas o atual presidente achou por bem declarar vitória antes da hora e acusar de fraude o processo democrático de sua nação. Na madrugada desta quarta-feira (4), Donald Trump publicou textos em sua conta no Twitter e no Facebook alegando que venceu na votação e denunciando o partido democrata de tentar “roubar” as eleições – duas afirmações que são mentirosas e, portanto, despertaram manobras de contenção pelas redes sociais.

Tanto o Twitter quanto o Facebook tomaram a decisão de limitar a disseminação dos posts do presidente, que partem da mesma mensagem: “Nós estamos chegando GRANDE, mas eles estão tentando ROUBAR as eleições. Nós nunca iremos deixar eles fazerem isso. Os votos não podem ser computados depois que as urnas são fechadas!”. Em ambas as companhias, a mensagem veiculada em cima ou no lugar da publicação de Trump é similar, que os votos ainda estão sendo contados e que não há um vencedor definido.

O Twitter é o mais drástico. Seguindo o exemplo de suas ações nos últimos meses contra a desinformação veiculada por Trump, a rede social desabilitou a possibilidade retuítes sem comentário e ocultou a mensagem com um aviso de que “Alguns ou todos os conteúdos compartilhados neste Tweet são contestáveis e podem ter informações incorretas sobre como participar de uma eleição”, seguido de um link para informações sobre o processo eleitoral do país.

Pouco depois da ação de contenção, a companhia se pronunciou oficialmente sobre o caso em sua conta de informações de segurança, escrevendo que o tuíte foi limitado “de acordo com a política de integridade cívica” da plataforma.

Já a resposta do Facebook é um pouco menos eficiente no sentido da distribuição do conteúdo e opta por deixar claro ao usuário o status atual da eleição. A publicação de Trump pode ser vista por toda a comunidade, mas logo abaixo a rede social informa que “Os resultados finais podem ser diferentes das apurações iniciais, pois a contagem de cédulas continuará por dias ou semanas”. A mesma notificação é repassada no Instagram e aconteceu para posts subsequentes do presidente – incluindo um no qual diz “Eu estarei fazendo um pronunciamento esta noite. Uma grande VITÓRIA”.

A ação do Facebook também foi justificada em uma publicação no perfil de notícias da empresa no Twitter. De acordo com a companhia, a manobra está valendo para todas as publicações de Trump e Joe Biden nas próximas horas – e dias, considerando que a eleição vai longe.

De acordo com o The Verge, ações parecidas tem acontecido com quaisquer membros da equipe oficial das campanhas que vem promovendo desinformação ou mentiras sobre o status da votação. Isso inclui o diretor de atividades de eleição de Trump, Mike Roman, que teve tuítes restringidos pelo Twitter por alegar fraude na votação do estado da Filadélfia.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link