satelitesb9

Japão cria satélites de madeira para eliminar lixo espacial

Universidade de Kyoto e empresa florestal já trabalham para encontrar o tipo de madeira ideal

por Matheus Fiore

Em parceria com a empresa florestal Sumitomo Forestry, a Universidade de Kyoto apresentou um projeto para desenvolver os primeiros satélites de madeira do mundo, que serão lançados até 2023 e utilizados para eliminar lixo espacial. A informação é da BBC, que conversou com a empresa para entender o que seus profissionais esperam do projeto.

A Sumitomo Forestry já começou suas pesquisas sobre o cultivo de árvores e o uso de madeira no espaço, e a ideia da parceria é explorar diferentes tipos de madeira para encontrar o que for ideal para o uso nas condições espaciais. A vantagem dos satélites de madeira é o fato de que eles queimariam sem deixar vestígios ou detritos na atmosfera ou no solo ao retornar à Terra.

A iniciativa parte de uma preocupação não muito nova: os resíduos deixados por estações espaciais e satélites na órbita terrestre. Desde o início da corrida espacial, nos anos 60, nunca houve como há hoje uma preocupação com a poluição da órbita do planeta. Takao Doi, professor da Universidade de Kyoto e astronauta, afirma que eventualmente essa poluição afetará o meio ambiente da Terra.

Já há algum tempo especialistas alertam sobre os problemas que podem surgir a partir do acúmulo de lixo espacial, que cresce principalmente com o lançamento de mais satélites e espaçonaves. Esse lixo pode, eventualmente, cair na Terra. Satélites são cada vez mais presentes na órbita terrestre em virtude das necessidades de empresas de comunicação, navegação, previsão do tempo, etc. O desenvolvimento de satélites de madeira, portanto, poderia, mesmo que tornando o processo mais caro, tornar o ciclo de lançamento e descarte de satélites mais limpo.

Compartilhe: