2019-10-27t141252z_819619264_rc188b44f560_rtrmadp_3_mideast-crisis-baghdadi-trump

Depois do Twitter, Donald Trump é bloqueado temporariamente do Facebook, Instagram e Snapchat

Enquanto Facebook estende suspensão do presidente por 24 horas, Snapchat alega que só vai voltar atrás na restrição quando achar correto

por Pedro Strazza

[ATUALIZAÇÃO] Donald Trump foi banido por tempo indeterminado do Facebook. Saiba mais aqui. [FIM DA ATUALIZAÇÃO]

As ações inconsequentes do presidente Donald Trump para lidar com a invasão do Capitólio nos Estados Unidos por seus apoiadores continua a render consequências a sua relação com as principais redes sociais. Depois de ter publicações removidas no fim da tarde de quarta-feira (6) e ser bloqueado do Twitter por 12 horas, o atual chefe do executivo estadunidense agora ganhou suspensões parecidas do Facebook, Instagram e Snapchat.

No caso da principal criação de Mark Zuckerberg, o bloqueio tem o dobro da duração do Twitter, valendo por 24 horas à partir das 22h30 do dia 6 de janeiro. Em comentário oficial sobre o caso, o Facebook justifica a ação escrevendo que identificou duas violações de políticas da plataforma por Trump, além de confirmar que o presidente não poderá publicar na rede durante o período supracitado. A punição também se aplica à conta de Trump no Instagram.

A manobra acompanha declarações de choque por parte da empresa sobre os eventos no Capitólio, que foram considerados como emergenciais dentro do ecossistema da rede social. Além de Trump, o Facebook disse na tarde de ontem que estava “buscando e removendo” uma variedade de publicações que tratavam do assunto sob o viés do apoio ao ataque ou de “tentar reencenar a violência amanhã ou nos próximos dias”.

Já o Snapchat confirmou ao The Information na madrugada desta quinta (7) que implementou restrições de compartilhamento ao perfil do presidente. O congelamento da conta veio antes mesmo de Trump incitar o golpe de Estado, segundo a plataforma, com o executivo sendo bloqueado a partir do momento que voltou a insistir na mentira da fraude das eleições e chamar os apoiadores envolvidos no então protesto como “muito especiais”.

A grande surpresa é que ao contrário dos colegas não há um período determinado para a suspensão: de acordo com um porta-voz da empresa, Trump continuará para fora da plataforma até que o Snapchat decida que é hora de desligar o bloqueio. Bom lembrar, a rede social já havia sido mais rígida no controle da conta do presidente anteriormente, limitando o alcance de suas publicações mesmo antes do início da votação para presidente – o que não significa muita coisa, dado que Trump só usa a plataforma para compartilhar conteúdo de outras redes.

Mas o ponto geral a ser feito aqui é que todas as restrições buscam impedir que o presidente faça outra manobra como a do Capitólio a partir de suas contas oficias no meio digital. Pelo menos por enquanto deu certo: na esteira da certificação da eleição de Joe Biden como novo chefe do executivo dos Estados Unidos (evento o qual os invasores queriam impedir), Trump precisou recorrer à conta de seu assessor oficial Dan Scavino no Twitter para comentar que fará “uma transição ordenada” da presidência no próximo dia 20 de janeiro.

Era isso ou criar uma conta no TikTok.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link