the-line-arabia-saudita

Arábia Saudita vai construir uma rede de cidades inteligentes sem estradas ou carros

Chamado "The Line", projeto de comunidades hiperconectadas faz parte do NEOM, plano de desenvolvimento ainda maior e que tem investimento de US$ 500 bilhões

por Soraia Alves

A Arábia Saudita anunciou o desenvolvimento de um projeto audacioso. De acordo com o príncipe saudita Mohammed bin Salman, o país vai construir uma rede de cidades inteligentes que não terão estradas ou carros. Chamado “The Line”, o projeto de comunidades hiperconectadas faz parte do NEOM, um plano de desenvolvimento ainda maior anunciado em 2017 e que conta com um investimento de US$ 500 bilhões.

Segundo o príncipe, o empreendimento oferecerá “trânsito ultrarrápido, veículos autônomos e um fluxo urbano que garante atendimentos básicos, como escolas e clínicas médicas, em uma distância de no máximo 5 minutos de caminhada”. Ainda de acordo com o comunicado à imprensa, a ideia é que nenhuma viagem dentro da comunidade “dure mais de 20 minutos”.

O plano prevê que 1 milhão de pessoas vivam na “The Line”, que se estenderá por 170 km e será movida por “energia 100% limpa”. A cidade terá um projeto de desenvolvimento voltado para o meio ambiente. Além disso, os organizadores afirmam que a inteligência artificial utilizada na cidade será capaz de monitorar a comunidade por completo, usando dados e modelos preditivos para oferecer maneiras de melhorar a vida diária da população.

A construção da cidade inteligente deve começar já neste primeiro trimestre de 2021, mesmo que o desenvolvimento da NEOM seja controverso. A NEOM é um projeto pessoal do príncipe Mohammed bin Salman, que entre outras acusações de violações dos direitos humanos, também é acusado de ter ordenado em 2018 a morte de Jamal Khashoggi, jornalista do Washington Post.

Além disso, a NEOM está projetada para ser construída em terras que atualmente são ocupadas pela tribo Huwaitat. No ano passado, um membro da tribo foi morto pelas forças de segurança sauditas depois de publicar um vídeo denunciando o despejo que a tribo enfrenta. A segurança do estado da Arábia Saudita confirmou a morte de Abdul Rahim al-Huwaiti, mas alegou que foi em legítima defesa.

No ano passado, a NEOM seria patrocinadora do League of Legends European Championship, mas após pressão dos fãs, a Riot Games, desenvolvedora do “League of Legends” e do “Valorant”, abandonou o acordo.

Compartilhe: