pgb9

Estudo aponta que quem joga “Pokémon Go” enquanto dirige causa mais acidentes

Acidentes próximos de PokéStops nos EUA custaram US$ 7,3 bilhões

por Matheus Fiore

Desde que foi lançado oficialmente em 2016 pela Niantic, o jogo “Pokémon Go” se tornou febre mundial. Apesar de não ter mantido seu sucesso após o estouro das primeiras semanas, o jogo ainda é amplamente jogado por milhões de usuários pelo mundo. Com o sucesso, veio um problema: os acidentes de transito.

Acontece que, para se jogar “Pokémon Go”, o jogador precisa se deslocar, já que os monstrinhos da Nintendo aparecem em um mapa que é idêntico ao da sua região. Um novo estudo apontou que, com isso, inúmeros jogadores decidiram jogar “Pokémon Go” enquanto dirigem, o que causou bilhões de dólares de prejuízo em acidentes e ferimentos.

O estudo, publicado por Mara Faccio e John J. McConnell para a Purdue University, tem o nome “Morte por ‘Pokémon Go’: O Custo Econômico e Humano de Usar Apps Enquanto Dirige”. Segundo o levantamento feito pela pesquisa, houve um aumento desproporcional no índice de acidentes próximos a PokéStops em Tippecanoe County, no estado americano de Indiana, onde o estudo foi realizado.

Os índices de acidentes fatais estavam em declínio há incríveis 25 anos, e voltaram a subir em 2011. Não é coincidência, mesmo que não tenha uma ligação direta com “Pokémon Go”, que como dito, foi lançado em 2016, foi em 2011 que houve um grande salto na fabricação e na comercialização de smartphones.

Faccio e McConnell concluíram que os acidentes próximos aos PokéStops custaram ao menos US$ 5,2 milhões para a região, e projetam que, nacionalmente, o custo total é de US$ 7,3 bilhões. Isso, claro, sem contar os prejuízos muito mais graves e irreversíveis que os financeiros. A Niantic tenta fazer sua parte para não incentivar este comportamento. A empresa estabeleceu limites de velocidade para que o jogo seja jogável, mas ainda parece ser pouco.

Compartilhe: