McDonalds-Marques-de-Pombal_4

Com novas metas de diversidade, McDonald’s quer paridade de gênero nas lideranças até 2030

Ideia é até 2025 ocupar 35% dos cargos de liderança com minorias e 45% com mulheres

por Pedro Strazza

O McDonald’s anunciou nesta quinta (18) um novo plano de metas de diversidade para seu quadro executivo, visando sobretudo o aumento do número de mulheres e grupos historicamente marginalizados em suas lideranças. A meta final é alta, com a rede de fast food querendo atingir a paridade de gênero em seu quadro de líderes até o fim de 2030.

De acordo com a CNBC, a companhia planeja até 2025 ocupar 35% dos cargos de direção e de altas lideranças com minorias, além de 45% com mulheres. As medidas representam respectivamente saltos de 6% e 8% aos dados que o McDonald’s apresentou sobre seu quadro interno de funcionários em 2020.

A empresa também prevê incentivos internos a partir de compensações anuais dadas aos vice-presidentes de acordo com o cumprimento das metas relacionadas, que incluem a criação de vagas, o engajamento com grupos de diversidade internos e externos e a mentoria e apoio a mulheres e minorias na ascensão a cargos maiores.

O plano apresentado pela rede é uma espécie de resposta a uma série de casos problemáticos enfrentados pelo McDonald’s ao longo dos anos, incluindo só no último ano acusações e processos por racismo submetidos por dois executivos negros e mais três movidos por unidades nos EUA, estes últimos que alegam terem sido desligados após serem movidos a localidades piores para prejudicar suas vendas e facilitar o enxugamento. Não bastasse isso, pelo menos 50 trabalhadores dos restaurantes no país submeteram queixas de assédio sexual nos últimos meses.

Compartilhe: