twittersuperfollow

Com aposta em grupos e modalidade de assinatura, Twitter quer dobrar receita até 2023

Rede social também quer chegar a 315 milhões de usuários nos próximos dois anos, e para isso criou uma variedade de opções que fomentam negócios na plataforma

por Pedro Strazza

O Twitter nesta quinta (25) anunciou planos de dobrar a receita anual para pelo menos 7,5 bilhões de dólares até 2023, ano que a rede social esperar ter 315 milhões de usuários. A estratégia foi divulgada em meio a um evento para acionistas, onde a companhia também revelou novas ferramentas que acredita serem capazes de aumentar o potencial de monetização da plataforma.

As funções no caso são duas, ambas com grande poder de mudar as dinâmicas atuais da rede a partir de novos modelos de negócios. O primeiro é o Super Follow, uma ferramenta de pagamentos que vai permitir a usuários que cobrem seguidores por publicações e materiais extras – incluindo tuítes, o acesso a um grupo, a assinatura de uma newsletter ou até mesmo um selo que mostra que você apoia aquela pessoa. Embora valores não tenham sido divulgados, uma demonstração no evento antecipou que os interessados poderão cobrar pelo menos US$ 4,99 ao mês de sua comunidade.

Já a outra novidade são as Communities, que em tese tem para o Twitter a mesma função dos grupos pro Facebook. De acordo com a companhia, o público poderá criar e se juntar a comunidades de tópicos específicos, a fim de ter acesso a uma maior quantidade de tuítes sobre o tema. Como no Facebook, a nova dor de cabeça aqui parece ser a moderação do conteúdo.

Nenhuma das duas ferramentas ganhou uma previsão de lançamento, mas em tese vem para solucionar respectivamente o problema de relacionamento financeiro com influenciadores e acesso da plataforma. O Super Follow inclusive soa como a versão do Twitter para o que serviços como o Patreon e concorrentes como o YouTube e a Twitch atualmente realizam, indo muito além da mera estrutura de newsletters que vinha sendo pensada pela companhia desde a compra da Revue no mês passado.

A meta final, porém, é mesmo o impulso do negócio. “Sabemos que temos sido lentos” chegou a declarar o CEO Jack Dorsey no evento de hoje para acionistas; “Quando você nos compara com nossos colegas, tem sido especialmente severo”. Pelo menos por enquanto, a “resposta” deu certo: de acordo com o UOL Tilt, as ações do Twitter subiram 8% no início da tarde desta quinta.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link