nestle-kitkat-pascoa2021

Com preços dos alimentos nas alturas, Nestlé aposta em produtos versáteis para público garantir a Páscoa 2021

Empresa diz estar "pronta pra atender aos brasileiros" com opções que cabem no bolso dos consumidores, num momento em que os preços não param de subir

por Soraia Alves

A Nestlé apresentou nesta quinta-feira, 25/02, seu portfólio para a Páscoa 2021, que traz um destaque para produtos mais versáteis e que fogem aos tradicionais ovos de Páscoa. A empresa diz estar “pronta pra atender aos brasileiros” com opções que cabem no bolso dos consumidores, num momento em que os preços dos alimentos não param de subir.

Segundo Amanda Freitas, gerente de Marketing de Chocolates Nestlé, os 26 produtos do portfólio de Páscoa “foram pensados para levar ao consumidor uma experiência que reforce o sabor inconfundível de nossos chocolates com preços acessíveis, embalagens personalizadas e, claro, com a expertise de todos os profissionais que colocam o coração e alma em cada um”, conta.

Para este ano, a Nestlé (que também engloba a marca Garoto) continua trazendo ovos tradicionais como Alpino, Talento e KitKat, que são colocados na chamada Linha Família, cuja ideia é mesmo de divisão entre todos. O preço médio dos ovos tradicionais começa em R$39,99. Já na Linha Presenteáveis, a empresa traz de volta o KitKat Coelho Easter Break, versão que fez sucesso no ano passado com formato de Coelho de Páscoa e recheio cremoso de chocolate, pedaços de wafer e rice crispies, e preço sugerido de R$ 2,99.

Nessa mesma linha, voltam também os mini ovos Alpino e KitKat, além dos coelhos de Baton e Alpino, cujos valores vão de R$ 9,99 aa R$ 14,99.

Além da preocupação em oferecer produtos com uma maior flexibilidade de preços neste ano, a Nestlé também destaca o investimento no e-commerce para atender à demanda de compras online que se estabeleceu desde o começo da pandemia de Covid-19, no ano passado. Em entrevista ao Meio & Mensagem, Amanda Freitas ressalta que a marca focou bastante na distribuição e logística dos produtos: “Sempre pensamos muito em inovação, sabores diferentes, e este ano foi ‘como levar nossas principais marcas ao consumidor, não deixar os itens faltarem, sabendo que ele ainda não deve presentear, pois não haverá muitos encontros”, comenta.

Inflação

A alto dos preços dos alimentos tem sido pauta constante nas conversas. De acordo com Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que mede a prévia da inflação oficial do Brasil, a taxa de fevereiro ficou em 0,14%. O índice é menor que os 0,78% de janeiro deste ano, mas também é superior aos 0,22% de fevereiro de 2020.

Entre os itens que mais influenciaram a taxa da prévia de fevereiro estão os gastos com transporte (1,11%) e alimentação, que teve uma inflação de 0,56%. Neste mês, alguns itens tiveram uma grande alta nos valores. A cenoura, por exemplo, subiu 24,26%. A cebola subiu 14,16% e a farinha de mandioca, 12,20%, só para citar alguns itens.

Ainda segundo o IPCA-15, a inflação dos alimentos em 2021 deve subir mais do que o previsto. A anterior projeção de 3% já foi substituída por uma previsão de 4,4%.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link