Johnnie Walker regrava clássico de Gilberto Gil e aposta em conversas para o Dia Internacional da Mulher

Proposta é trabalhar durante o mês de março a campanha “Harmonize com Johnnie Walker”, que traz uma série de iniciativas práticas em prol da equidade

por Soraia Alves

Para celebrar o Dia Internacional da Mulher, a proposta de Johnnie Walker é trabalhar durante todo o mês de março a campanha “Harmonize com Johnnie Walker”, criada pela agência AlmapBBDO e que traz uma série de ações com conversas e iniciativas práticas em prol da equidade, encabeçadas pelo hub [ EM BRANCO ].

“A imagem do whisky sempre esteve associada a homens. Mas sabemos que, hoje, do total de consumidores de whisky, 31% são mulheres. Queremos desconstruir mais esse estereótipo e mostrar a pluralidade e versatilidade do destilado em todos os sentidos. O mês que abriga o Dia Internacional da Mulher é um ótimo momento para colocarmos esse assunto na pauta, falarmos sobre a harmonização do feminino e masculino, em busca de equidade em todas as dimensões. Ainda temos muito keep walking pela equidade”, diz Juliana Ballarin, Head de Marketing do portfólio de Scotch da Diageo.

Com estreia no ambiente digital, a campanha traz a música “Super Homem”, de Gilberto Gil, regravada pelo dueto Gab Ferruz e Tibí. Um videoclipe dessa releitura dá vida ao conceito criado pela AlmapBBDO: “Harmonizar sua dose feminina e masculina é poderoso”. A curadoria dos intérpretes e a viabilização do uso da canção para a campanha ficaram sob a responsabilidade da SUBA, empresa de conteúdo com foco em influência.

A música – que ressalta a importância da mulher – reforça a ideia da campanha de buscar a equidade, romper com o apego a rótulos e resgatar o equilíbrio entre as sensações comuns a todos, além de desmistificar a máxima de que whisky é para homens. Tudo isso inspirado no conceito da psicologia que fala sobre o lado feminino e lado masculino presente em cada um de nós.

Conversas nas redes sociais

Nas redes sociais, a ação será amplificada por meio do time criativo da marca: Astrid Fontenelle, Djamila Ribeiro, DJ Alok, Dan Ferreira e João Vicente, que irá compartilhar o videoclipe e chamar o público para a conversa sobre a equidade de gênero. Haverá ainda um lançamento inédito da campanha com um live talk sobre o feminismo, aberto ao público, realizado nos perfis do Instagram de Djamila Ribeiro e Alok.

No YouTube, uma série de três episódios produzida pela Trace Brasil mostrará como a harmonização é parte importante na história de mulheres negras que estão mudando o mundo ao seu redor.

Incentivo à equidade de gênero no mercado de trabalho

No site The Bar, e-commerce da Diageo, durante o mês de março, Johnnie Walker estará com uma ação especial: quem comprar produtos da marca, ganha copos temáticos exclusivos e o livro “Quem tem medo do feminismo negro?”, de Djamila Ribeiro. Parte do lucro da venda será doado para a Casa Preta Hub, a fim de incentivar o empreendedorismo negro, causa na qual a instituição fundada por Adriana Barbosa atua há 20 anos. A ação vai possibilitar a capacitação de mulheres – via Preta Hub – por meio do curso de formação para bartenders do projeto Learning For Life do Instituto Diageo.

“Vamos oferecer a oportunidade para a formação de bartenders mulheres e trazer um pouco mais da dose feminina para esse segmento”, conta João Victor Guedes, Head de Johnnie Walker da Diageo. Segundo dados do Caged (Cadastro Nacional de Empregados e Desempregados), no ano da pandemia o Brasil gerou em torno de 142 mil vagas com carteira assinada. Quando se considera os empregos para mulheres, houve um fechamento de 87mil vagas.

Compartilhe: