democracia-fake-news Imagem: Getty Images

SXSW 2021: a democracia vai sobreviver às fakes news, mas gigantes da tecnologia precisam colaborar

É preciso garantir medidas que ajudem no fortalecimento da democracia perante o cenário atual, que é de total crise da realidade

por Soraia Alves

Em um dos painéis mais interessantes do SXSW 2021, Kevin Roose, colunista de tecnologia do The New York Times, e Věra Jourová, vice-presidente de Valores e Transparência da Comissão Europeia, falaram sobre os ataques à democracia promovidos pela gigantesca onda de desinformação em todo o mundo. Vivemos uma crise de realidade, com fake news e teorias da conspiração ganhando espaço em todos os setores da sociedade, o que tem tornado a manutenção do processo democrático cada vez mais difícil.

Para Jourová, a democracia vai sobreviver a mais essa adversidade, ou não seria uma verdadeira democracia: “Eu acho que numa sociedade democrática não podemos renunciar à verdade”. No entanto, é preciso garantir medidas que ajudem no fortalecimento da democracia perante o cenário atual, especialmente com ações das plataformas de mídia social, que são diretamente responsáveis pelo aumento da disseminação das desinformações.

Neste sentido, Jourová destacou o Plano de Ação para a Democracia na Europa, que inclui uma espécie de código seguido pelas plataformas de mídia social nos países da União Europeia. “Esse é um acordo voluntário entre as big techs. Várias empresas estão inscritas e o compromisso é que elas aumentem a verificação dos fatos para diminuir o impacto das desinformações e fake news”, explica.

O recente caso de Donald Trump, que foi banido de redes sociais como Facebook e Twitter por compartilhar desinformações e incitar discursos de ódio, foi mencionado como um exemplo bem-sucedido de ação a ser tomada pelas plataformas.

Obviamente, governos têm um papel fundamental no processo de desenvolvimento de medidas para frear a disseminação de fake news. Jourová lembra que a criação do Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados (GDPR), em 2018, foi extremamente criticada. Porém, cada vez mais as pessoas entendem a importância leis para proteção de dados dos usuários. “Mark Zuckerberg sentou-se no Congresso e disse ‘Me dê as regras e eu cumprirei’. Então é exatamente isso o que fizemos”, comentou. “Estamos introduzindo novas regras para o mundo digital”.


Compartilhe:
icone de linkCopiar link