tendencias-mercado-brasil-2021 Imagem: Divulgação/BBRO

Pesquisa aponta tendências do mercado para 2021 mediante impactos da pandemia

Estudo busca responder à pergunta "O que pauta as perspectivas de futuro?", a fim de apresentar uma abordagem por diversos ângulos sobre as principais tendências do ano

por Soraia Alves

Uma nova pesquisa realizada pela BBRO, agência boutique com 20 anos de mercado, mostra quais as principais tendências do mercado para 2021. O estudo busca responder à pergunta “O que pauta as perspectivas de futuro?”, a fim de apresentar uma abordagem por diversos ângulos sobre as principais tendências para este ano.

“Conscientes de que os impactos da ainda esperada pós-pandemia levarão a transformações aceleradas e permanentes, é na ciência, nas estatísticas e nos estudos comportamentais que buscamos informações para definir as atitudes mais assertivas e traçar objetivos para ações, planejamentos e campanhas”, diz o comunicado da empresa.

Segundo o estudo, a lista de tendências para o mercado em 2021 ficou assim:

  • Consumo de informações mais fragmentadas, ágeis e de fácil compreensão;
  • Marcas que são cada vez mais protagonistas dos seus conteúdos;  
  • Agility;
  • Padrões nada normais de consumo;
  • Mudança de cultura rompendo transformações temporárias.

Em relação ao consumo de informações mais fragmentadas, ágeis e de fácil compreensão, a pesquisa mostra que 94% dos usuários de smartphones procuram por informações em seus aparelhos enquanto estão em meio a tarefas. Ninguém se prende mais a determinados momentos para pesquisar e tomar decisões. Portanto, empresas e marcas devem saber como aproveitar isso. O impacto desta transformação ganha evidência e maior profundidade com as transformações causadas pela pandemia, quando os números dos acessos nas mais diferentes telas cresceram exponencialmente.

Além disso, o público espera que as marcas sejam protagonistas de seus próprios conteúdos, abordando temas relevantes. A agilidade no contato com clientes e consumidores também é fundamental. O que inclui não apenas um atendimento imediato, mas também um resultado instantâneo. “Fechamos o ano anterior com uma alta nas buscas por palavras no Google que mostram ‘urgência por resultado’ em diferentes segmentos”, diz o documento.

A pandemia também mudou bastante os padrões de consumo. Uma pesquisa complementar realizada pela Mobills, startup de gestão de finanças pessoais, utilizando dados de mais de 160 mil usuários de seu aplicativo, mostrou o aumento de 94,67% nos gastos com os principais aplicativos de entregas de comida (Rappi, iFood e Uber Eats) durante o período de pandemia. Um reflexo que acompanha a redução de custos com transporte e lazer, segundo o estudo.

O mesmo tipo de mudança pode ser vista em relação às transformações temporárias que, na verdade, devem permanecer mesmo quando a pandemia acabar. Neste quesito, por exemplo, 64% dos profissionais acreditam
que o home office será uma mudança permanente.

Segundo os dados da pesquisa, a BBRO também indica alguns pontos de atenção que devem fazer parte das atribuições diárias de empresas e marcas. Entre eles:

  • Mobile Super First;
  • Mídias sociais além do trivial;
  • Rever pontos de contato;
  • Dominar a jornada de conteúdo nos mecanismos de buscas;
  • Decisões realizadas com o apoio de dados confiáveis;
  • Investimento em identidades plurais;
  • Uso de vídeos.

Para conferir as informações completas da pesquisa, acesse aqui.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link