Nova York quer atrair turistas com vacinação gratuita de doses da Johnson & Johnson
Imagem: Cheryl Gerber/Courtesy of Johnson & Johnson via AP

Nova York quer atrair turistas com vacinação gratuita de doses da Johnson & Johnson

Medida ainda depende de aprovação estatal, mas prefeito Bill de Blasio está confiante em usar a ideia para potencializar turismo

por Matheus Fiore

Já tendo vacinado quase toda sua população, a cidade de Nova York está pensando em oferecer gratuitamente doses da Johnson & Johnson para seus visitantes. A vacina, que é aplicada em dose única, pode ser um caminho para que a cidade mais popular dos Estados Unidos volte a receber turistas e alavanque sua economia. O prefeito da cidade, Bill de Blasio, afirmou ainda que quer implementar postos móveis de vacinação próximo de várias atrações turísticas.

Segundo a CNN, Bill de Blasio está confiante de que, com a vacinação avançada pelo país, a cidade voltará a ser um dos principais pontos turísticos do mundo. “Neste verão, vocês verão o turismo voltar à vida em Nova York”, afirmou o prefeito. A ideia é ter postos de vacinação ao menos em pontos como a Times Square, no Brooklyn Bridge Park e no Highline.

Para a medida ser aplicada, porém, ainda resta aprovação do governo estadual para que as doses sejam aplicadas em pessoas de fora de Nova York. Por enquanto, a cidade já aplicou mais de 6 milhões de doses em sua população. A escolha de aplicar a Johnson & Johnson é eficiente justamente por ser dose única, fazendo com que os turistas tomem e estejam imunizados em menor tempo e possam usufruir de seu período na cidade.

Apesar de a ideia ser interessante, ela levanta outra questão importante e que muito vem sendo discutida mundialmente: a quebra das patentes das vacinas e o auxílio a países necessitados. O presidente Joe Biden já se mostrou favorável à ideia, que permitiria que outros países pudessem reproduzir as vacinas e acelerar a imunização pelo mundo. Distribuir as doses apenas para visitantes de Nova York em vez de ajudar países que estão vivendo crises com a pandemia é, no mínimo, polêmico.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link