fbpx
CapaMatériaB9

Com reforço na importância dos diálogos, Mamilos apresenta nova identidade visual

Após 7 anos, podcast reflete processo de maturidade com nova assinatura e releitura do ícone principal

por B9

O Mamilos está de cara nova. No momento em que os mais de 350 episódios são disponibilizados também no Globoplay, o podcast apresenta uma releitura da identidade visual. Na nova fase do projeto, a marca adota a assinatura “Diálogos de peito aberto”

Previsto para estampar todos os programas e artes de divulgação, o projeto visual reflete a trajetória do programa que estreou no final de 2014. “De lá para cá é possível ver nossa curva de aprendizado claramente. Nossas experimentações com quadros, com formatos, com convidados. Temos muito orgulho dessa trajetória” diz Ju Wallauer

Nesse mar de aprendizados é possível destacar o episódio sobre depressão, realizado em 2016, que recebeu milhares de retornos de pessoas do Brasil inteiro e entrou pro hall de episódios mais ouvidos do Mamilos até os dias atuais. Também o episódio “Sistema Político em Xeque”, realizado em 2017, que foi utilizado como fonte pela Al Jazeera.  

Ou ainda o episódio “Alter do Chão”, de 2019, no qual as apresentadoras foram a campo no Pará, em meio a tensão entre moradores, ONG’s e grileiros para apurar as causas de um grande incêndio na região. Esse episódio foi reconhecido com o prêmio internacional The Webby Awards. E, mais recentemente, o episódio “Bolsonaro x Congresso”, de 2020, que teve sua gravação interrompida para que a jornalista e convidada do programa Vera Magalhães respondesse aos ataques diretos que o presidente fazia a ela durante uma coletiva de imprensa em Brasília.

A pandemia também teve um grande impacto no projeto, como explica Cris Bartis: “criamos um estúdio totalmente pensado para promover uma conversa íntima e aconchegante entre os convidados. Valorizamos muito o olho no olho e a proximidade para que os encontros que tanto buscamos aconteçam de fato. Mas com a pandemia perdemos isso e tivemos que nos reinventar com gravações a distância. Passado o choque, vimos nisso a oportunidade para expandir os convidados para além de São Paulo.”. E foi isso que o programa fez: ganhou mais pluralidades de vozes e sotaques com a participação de especialistas do Brasil inteiro, brasileiros que moram no exterior e até convidados de outros países de língua portuguesa como Portugal e Angola. 

Nesta perspectiva, o leque de convidados também aumentou e ganhou peso. Do psicanalista Christian Dunker ao ambientalista Ailton Krenak, das filósofas Viviane Mosé e Maria Homem aos cantores Emicida e Xênia, passando por grandes nomes do jornalismo como Reinaldo Azevedo, Pedro Dória, Renata Lo Prete, Vera Magalhães, Leandro Demori, Guga Chacra, Natuza Nery, Tai Nalon, João Paulo Charleaux, Flávia Oliveira e Juca Kfouri, chegando a importantes nomes políticos como Eduardo Jorge e Marina Silva. As escolhas dos convidados do Mamilos são sempre muito pensadas. Ju Wallauer explica o processo: “buscamos vozes que representem diferentes abordagens, vivências e perspectivas pra ampliar a compreensão que a audiência tem sobre temas polêmicos. Nos preocupamos em equilibrar ao longo dos programas diferentes tipos de saberes, diversidade de raça, gênero, credo e classe social. Mas o filtro crucial para que um especialista sente na nossa mesa é a disposição para o diálogo, para ouvir, para trocar, para se mover na direção do outro. Buscamos trazer para o debate pessoas inteligentes e bem intencionadas”

Com base em tudo isso, a nova identidade visual assinada por Johnny Brito busca representar o movimento de evolução do podcast, que renova a proposta de diálogo sobre temas de interesse público relevantes e urgentes e promove debates aprofundados com empatia, tolerância e leveza. Embora o “O” que representa um mamilo se mantenha como central à proposta, a tipografia das letras da marca agora foi alterada para deixar o conjunto mais harmônico. 

A paleta de cores, enquanto isso, ganhou tons mais sóbrios para acompanhar a profundidade dos temas abordados, com um degradê aplicado para refletir o ato de construção de pontes que faz o programa ser o fenômeno que é. Por fim, foi criada uma versão mais compacta da marca para ser usada dentro de um contexto de comunicação.

Além das mudanças no projeto gráfico, o Mamilos também ganhou uma nova capa que traz as apresentadoras Cris Bartis e Juliana Wallauer com uma postura convidativa, traduzindo uma das premissas do podcast. “Nossas conversas são acolhedoras, então nossas fotos precisavam entregar essa vibe de ‘pega o foninho, arrasta o banquinho e vamos conversar’ e foi isso que nos propusemos quando entramos no estúdio para fotografar. Não importa o tema, a gente vai conversar sobre ele e vai ser legal, pode chegar!” explica Bartis. As fotos foram tiradas por Agê Barros com assistência de Victor Juliano, produção executiva de Márcio Costa, figurino de Thais Bakarat e maquiagem de Jake Falchi.

O Mamilos chega à marca de 7 anos de vida como um projeto em crescente expansão. Além da nova parceria com a Globo, o podcast também se divide agora em dois programas que vão ao ar toda semana com episódios inéditos. O Mamilos Debate, que recebe dois especialistas para dialogar sobre assuntos de interesse público, e o Mamilos Cultura, mais curto em duração e com reflexões sobre livros, filmes, séries e álbuns. Junto de tudo isso, minisséries abordando mulheres e tecnologia, relação com o corpo e violência doméstica se somam no feed do programa.

O Mamilos busca trazer mais gente para a mesa e ampliar a conversa para proporcionar uma quantidade ainda maior de encontros, diz Bartis sobre a transformação visual do programa. “Conduzir o Mamilos há mais de 7 anos nos permitiu experimentar, mudar e crescer e a nova marca reflete bem esse processo.” conclui a apresentadora.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link