YouTube-TV-is-launching-4K-and-offline-downloads-today-but-1024×536
Imagem: Divulgação

YouTube TV ganha opção em 4K… por US$ 20 extras mensais

Recurso de gravar e baixar programas de TV para se assistir offline também está prevista na nova modalidade, que eleva preço do serviço para US$ 85 nos EUA

por Pedro Strazza

Aposta do YouTube na transmissão de canais de TV via streaming nos EUA, o YouTube TV lançou nesta segunda (28) duas novas ferramentas esperadas por usuários, a possibilidade de reprodução em 4K e de baixar conteúdos para consumo offline. Os dois recursos são prometidos desde fevereiro, mas chegam agora com uma reviravolta: eles são parte de um novo pacote do serviço, um que obviamente cobra a mais.

Batizado de “4K Plus”, a nova modalidade do serviço vai custar sozinho US$ 19,99 aos usuários, o que parece ser um exagero dado que a assinatura padrão do YouTube TV hoje já custa US$ 64,99 e com isso a conta chega a uns 85 dólares. O YouTube parece consciente do problema, dado que está concedendo uma promoção “de inauguração” que reduz pela metade o valor do 4K Plus no primeiro ano de uso a quem adotar o “extra” cedo – e assim diminuindo a 75 dólares o valor da assinatura. Bom lembrar, nos EUA ainda há a questão de taxação nesses pacotes além do valor cobrado pela companhia.

A ideia do pacote parece ser mesmo a de capitalizar em cima da transmissão em 4K de partidas das principais ligas norte-americanas, conforme o The Verge reporta que a divulgação oficial alerta para a capacidade de assistir “aos maiores eventos esportivos do verão em 4K, além de conteúdos ao vivo de redes como a NBC e as ligas universitárias de futebol americano e basquete”. Além disso, o YouTube já confirmou que está preparando recursos adicionais para a modalidade tendo em vista as Olimpíadas, incluindo a possibilidade de alternar rapidamente entre competições olímpicas para não perder um momento chave da celebração.

O diferencial para ativar o interesse do público agora, porém, é mesmo a capacidade de assistir programas da TV offline. É a repetição do esquema do DVR na era do streaming, claro, mas vale ressaltar que o YouTube declara oficialmente que em tese não haverão limitações do que pode ser “gravado” para ser baixado e assistido depois no celular, mas também que redes “premium” (ou dos canais a cabo) não devem permitir a gravação de certos conteúdos – ou seja, é tudo muito nebuloso no momento.

Para além do oportunismo premium, enquanto isso, o YouTube também anunciou hoje a inclusão de som Dolby 5.1, que deve rolar em breve para todos os usuários do YouTube TV – assinantes ou não do “plus”.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link