Cientistas comemoram resultado de implante no cérebro que transforma pensamentos em fala

Segundo os cientistas, essa é a primeira vez que a atividade cerebral de uma pessoa paralisada foi decodificada em palavras e frases completas.

por Soraia Alves

Pesquisadores da Universidade da Califórnia, em São Francisco, alcançaram um marco na neuroprostética: conseguir capacitar um homem que não consegue falar a gerar respostas apenas com a mente. O resultado foi possível graças ao uso de um implante cerebral que decodifica frases completas da atividade cerebral do paciente.

De acordo com a TNW, o implante cerebral foi testado em um homem de quase 30 anos, conhecido como BRAVO1, que sofreu um derrame cerebral na adolescência que o deixou incapaz de falar. Os pesquisadores primeiro implantaram cirurgicamente um conjunto de eletrodos de alta densidade sobre o córtex motor da fala do paciente, antes de anexar o implante a um computador através de uma “porta” em sua cabeça.

Todo o teste durou 22 horas espalhadas ao longo de vários meses, e foi totalmente gravado pela equipe de pesquisadores enquanto o paciente tentava dizer uma lista de 50 palavras comuns. A lista incluía palavras como “água”, “família” e “bom”, a partir das quais mais de 1.000 frases poderiam ser geradas.

Os modelos de rede neural personalizados são capazes de distinguir entre sinais neurológicos para identificar quais palavras ele estava tentando comunicar. O teste pedia que o paciente dissesse diferentes frases curtas compostas por essas 50 palavras, que foram então decodificadas de seus sinais cerebrais para a tela.

A próxima etapa do teste envolveu perguntas e respostas. Ao perguntar ao paciente “Como você está hoje?”, ele conseguiu responder “Estou muito bem”. Segundo os cientistas, essa é a primeira vez que a atividade cerebral de uma pessoa paralisada foi decodificada em palavras e frases completas.

Vale ressaltar que o sistema está longe de ser perfeito. As palavras foram decodificadas com uma precisão mediana de 74% a 15 palavras por minuto. Agora, os próximos passos são justamente melhorar o vocabulário e taxa de reconhecimento de fala.

Compartilhe:
  • tags:
icone de linkCopiar link