fbpx
E8hoi5hWEAQtlOU
Imagem: Divulgação

Twitter volta atrás e reduz perfil arrojado do novo design

Usuários reclamaram que mudança no contraste e inserção de nova fonte prejudicaram experiência ao causar dor de cabeça

por Pedro Strazza

O Twitter na última semana promoveu uma atualização em sua plataforma para desktops e smartphones que entre outras coisas envolveu a mudança mínima e ao mesmo tempo drástica do visual de certos componentes de sua rede social. A proposta se baseava em acessibilidade acima de tudo, na busca para tornar botões fundamentais e outros elementos visuais se destacarem dentro do produto da companhia – incluindo aí a inclusão da nova fonte, batizada de Chirp e focada em aumentar o contraste do texto com o fundo.

O que era boa intenção se revelou uma nova dor de cabeça, porém, e em alguns casos em caráter literal. Em questão de horas pipocaram na rede reclamações de usuários com o novo display da plataforma, em especial com a fonte nova e a situação da vista ser forçada o suficiente a ponto de criar mal estar em parte do público. Até mesmo especialistas na área não aprovaram a medida, apontando como um erro o fato de não haver customização disponível para que os interessados ajustassem a experiência de acordo com suas necessidades.

Com todo o caos gerado, o Twitter enfim voltou atrás na atualização no fim da última sexta-feira (13). Em publicação em seu perfil de acessibilidade, a companhia confirmou que reajustou os níveis de contraste e que identificou problemas com a aplicação do Chirp na sua versão para Windows. As declarações aconteceram após a empresa passar os dias anteriores atentos ao feedback (e às muitas reclamações) do público. A parte curiosa é que a mudança do sistema de cores para a identificação de quem a conta segue e não segue foi mantida, uma alteração que também provocou discórdia em uma parcela significativa dos usuários.

Apesar das alterações, o Twitter também comenta ao TechCrunch que deve continuar a ficar de olho no feedback do público sobre as mudanças, na busca para ajustar a experiência da rede social ao ideal a todos. “Nós percebemos que podemos receber mais retornos no futuro e vamos trabalhar nisso” escreve a companhia.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link