fbpx
z81ZWXB0RNj6IRrYP9ckQh2KyB9
Imagem: Reprodução

Com foco na história e valor artístico, Letterboxd passa a contar com filmes pornográficos

Seleção inicial inclui 1.500 títulos e permite que usuários menos interessados no segmento pixelizem artes dos cartazes

por Pedro Strazza

O Letterboxd agora tem filmes adultos em sua base de dados. A rede social de cinema anunciou a novidade na última segunda-feira (16), confirmando que adicionou mais de mil e quinhentos títulos caracterizados como pornográficos, bem como ferramentas que permitem aos usuários ocultar os conteúdos caso os mesmos não sejam de seu interesse.

A inclusão se dá sobretudo por motivos de arquivamento, conforme a produção do segmento não apenas foi fundamental para a revelação de diretores como Abel Ferrara e Wes Craven, mas também para a história do cinema queer. No blog oficial, a companhia ainda escreve que o objetivo foi adicionar “filmes de legado e modernos que cinéfilos adultos esperam ver” na plataforma sem “encher o Letterboxd com uma onda de pornografia”.

Os filmes selecionados cobrem todo tipo de subgênero significativo “historicamente, culturalmente, controverso e artístico”, com direito a projetos de sexploitation, fetichistas, masculinos, paródia e hardcore. Apesar do número inicial considerável, a rede social confirma que “ainda há mais trabalho a ser feito” e deve manter o trabalho nos próximos meses.

Para tanto, o Letterboxd trabalhou de forma próxima com um painel de especialistas e curadores que entre outros inclui o cineasta Yann Gonzalez, de “Faca no Coração”, além de uma colaboração com o The Movie Database que fornece a base de dados da plataforma. Conforme muitos títulos são produções marginais que não contaram com estratégias tradicionais de lançamento, a companhia diz ter recorrido ao trabalho humano (e portanto mais demorado) exatamente porque não há como determinar sucesso a partir das vias comuns como bilheteria ou qualidade.

Em termos operacionais, o Letterboxd adicionou uma nova opção nas configurações que permite a quem achar sensível demais o tópico a possibilidade de ocultar todos os filmes do segmento – que ainda são identificados como uma tag vermelha, aliás. Caso o usuário decida por esse caminho, os conteúdos não só vão desaparecer da linha do tempo (incluindo resenhas e comentários) como as artes dos cartazes serão pixelizadas como no esquema abaixo.

O Letterboxd ainda diz que as artes serão disponibilizadas desse jeito a todos no aplicativo de celular, além de confirmar que vai manter a moderação atenta a quaisquer comentários que tenham viés racista, LGBTfóbico ou misógino no segmento.

Não há uma lista que englobe todos os títulos adicionados à plataforma, mas só para ficar num exemplo a equipe do site criou essa lista com 30 filmes adultos relevantes produzidos por diretores de gênero famosos, selecionados pelo arquivista e curador da editora de home video Vinegar Syndrome.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link