fbpx
spiderman2
Imagem: Reprodução

Com “Spider-Man 2” e “Wolverine”, Insomniac Games é a nova casa da Marvel nos games

Entre 2018 e 2023, quatro dos oito títulos lançados pelo estúdio são feitos em cima de personagens da editora

por Pedro Strazza

A Sony realizou na última quinta-feira (9) o PlayStation Showcase, evento para divulgação de novidades envolvendo os estúdios da sua divisão de games, e entre os diversos anúncios feitos um chamou a atenção – ou melhor, dois. A Insomniac Games, de uma vez só, confirmou a produção de uma sequência oficial para “Spider-Man”, um dos best sellers do PlayStation 4, e de um novo título focado em Wolverine, dois projetos que obviamente circulam por propriedades intelectuais da Marvel Entertainment.

Os anúncios carregam poucos detalhes além da revelação e dos teasers, que você pode conferir abaixo. Enquanto “Spider-Man 2” deve sair em 2023 para o PlayStation 5 com a promessa de reunir as duas versões do herói para enfrentar o vilão Venom, “Wolverine” não tem previsão de lançamento ou de plataforma, mas confirma a presença dos diretores Brian Horton e Cameron Christian (de “Spider-Man: Miles Morales”) para “criar algo especial” em torno do mutante.

Assim, o estúdio conhecido até então por ser a casa de “Ratchet & Clank” e “Spyro the Dragon” estabeleceu como horizonte para os próximos dois anos mais dois jogos em parceria com a editora, chegando a um total de quatro títulos tocados em 5 anos. O volume é impressionante dado que domina o calendário do estúdio – metade dos games lançados ou para lançar, e dos que não são Marvel só “Ratchet & Clank: Rift Apart” é uma produção maior. A inclusão de um jogo focado em Wolverine por si só reforça o aprofundamento dessa relação, dado que a franquia do Homem-Aranha ainda é algo interno graças aos direitos do personagem estarem na Sony.

Enquanto a Insomniac faz valer a compra de seu estúdio pela Sony em 2019, para a Marvel essa parceria não poderia ser mais benéfica. Depois de anos vendo adaptações de seus personagens para os jogos resultando em fracassos ou desempenhos medíocres, a empresa enfim vê títulos licenciados deslancharem no mercado em pelo menos uma frente, liderados pelo “Spider-Man” que só nos primeiros 3 dias fez 3,3 milhões de vendas ao redor do mundo. Ainda há o resto – só olhar a recepção amarga de “Marvel’s Avengers” no ano passado – mas é um bom começo.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link