Fortnite_blog_season-8_BR08_News_Featured_Launch_ScreenKeyArt_Announce-1920×1080-f831323339109ab3c6a8d9e4c670f1973b8796d0
Imagem: Divulgação

“Fortnite” só volta à App Store quando sair veredito definitivo do processo entre Apple e Epic Games

CEO da Epic Games revelou informação no Twitter e comenta que, nas atuais circunstâncias, essa definição pode demorar até 5 anos para acontecer

por Pedro Strazza

O caso judicial entre a Apple e a Epic Games sobre o futuro do mercado de aplicativos ganhou um veredito há duas semanas, mas ainda vai demorar para que “Fortnite” retorne à App Store. A notícia vem do CEO da Epic, Tim Sweeney, que em seu perfil no Twitter revelou uma troca de e-mails entre as duas companhias que mostra que a Apple só vai permitir a volta do jogo a seu ecossistema quando todos os recursos de apelação forem esgotados por ambas as partes – o que pode demorar, claro.

“A Apple exerceu a discrição de não restaurar a conta de desenvolvedor da Epic até o momento. Além disso, ela não irá considerar qualquer pedido de restauro até que o julgamento da corte se torne final e sem apelações” escreve Sweeney, que voltou a confirmar que sua empresa cumpriu com a ordem da juíza Yvonne Gonzalez-Rogers e já pagou a penalidade de 30% de todos os lucros obtidos com a manobra implementada no “Fortnite” para evitar a taxa da App Store. O executivo ainda compartilhou a confirmação da Apple de que a Epic segue na lista de desafetos da companhia e avisa que, nessas condições, a situação pode acabar só se resolvendo daqui 5 anos.

A situação de fato é lenta nos tribunais. Pouco depois que a juíza Gonzalez-Rogers emitiu uma injunção permanente proibindo a Apple de restringir a inclusão de pagamentos externos à App Store, a Epic Games confirmou que iria apelar da decisão e a própria Apple admitiu estar considerando suas opções legais no processo, embora o CEO Tim Cook tenha dito a funcionários que “gostaria de seguir em frente”. A corte, entretanto, ainda não decidiu se vai ou não escutar de novo o caso.

Considerando a janela de tempo extensa e a indecisão da situação, a manobra de Sweeney nas redes sociais faz todo sentido. “Nós vamos continuar a lutar. A necessidade de ações regulatórias e legislativas está mais clara do que nunca” finaliza o CEO no comentário oficial sobre o caso.

A Apple não emitiu nenhuma nota sobre as declarações.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link