Seinfeld-Netflix
Imagem: Divulgação

Remasterizado em 4K, “Seinfeld” chega à Netflix com formato de tela errado

Episódios são exibidos em resolução widescreen ao invés de respeitar o formato original de 4:3 (e há piadas que são prejudicadas no processo)

por Pedro Strazza

Depois de muita espera, as nove temporadas de “Seinfeld” enfim estrearam no catálogo global da Netflix nesta sexta-feira (1), com direito a uma nova remasterização em 4K de todos os episódios. Quem já teve a oportunidade de revisitar ou assistir pela primeira a “série sobre nada” na plataforma deve ter reparado em um pequeno problema, porém: os episódios são exibidos formato widescreen ao invés de respeitar a proporção de tela 4:3 original do programa.

A situação é frustrante, mas nesse caso envolve mais partes além da Netflix. De acordo com o The Verge, a série já é disponibilizada assim desde que ganhou sua primeira remasterização em HD em 2008, pela TBS, exatamente por conta do maior “conforto” a quem assista aos episódios numa TV moderna. A versão mais recente do programa que respeita o visual “quadrado” da tela (e adequado então às televisões de tubo que vigoravam na época) seria a dos lançamentos da produção em DVD, ocorridos entre 2004 e 2007.

A questão, claro, é o que se perde ao se optar por exibir a série neste formato. Apesar de “oferecer” mais das cenas nas laterais, a resolução em widescreen obviamente corta pedaços do topo e da parte inferior, o que na prática significa que algumas piadas são arruinadas. Usuários no Twitter já apontaram como exemplo o “The Pothole”, 16° episódio da oitava temporada, que no formato de tela 16:9 omite do espectador a imagem do bueiro pavimentado onde George Constanza perde suas chaves.

Enquanto a situação da Netflix como se a companhia tivesse apenas recebido a restauração em 4K ao invés de patrocinar um novo escaneamento do material no formato de tela correto, não é como se o problema não tivesse qualquer solução. Além do público pedir que o serviço disponibilize a opção de se assistir à sitcom em seu formato original mesmo não sendo em HD (ou seja, provavelmente na cópia do DVD), vale lembrar que no lançamento do Disney+ nos EUA as críticas dos usuários quanto à ausência da oferta de “Os Simpsons” no formato 4:3 levou a Disney a oferecer a opção de mudança de resolução de tela alguns meses depois.

E como a Netflix é dona dos direitos da série até 2026, há tempo para se corrigir isso.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link