Jack Dorsey deixa cargo de CEO do Twitter
Imagem: Andrew Harrer/Bloomberg via Getty Images

Jack Dorsey deixa cargo de CEO do Twitter

CTO Parag Agrawal assume liderança da companhia

por Pedro Strazza

Nota atualizada às 12h50 com confirmação do Twitter.

Jack Dorsey já não é mais CEO do Twitter. Depois da CNBC reportar no começo da manhã desta segunda-feira (29) que o fundador da rede social estaria previsto para deixar a liderança maior da companhia “no curto prazo”, citando “um número de diferentes pessoas familiares com a situação” de fonte, o próprio Twitter anunciou a saída do executivo em caráter imediato.

De acordo com a Variety, Dorsey deve continuar como membro do conselho da empresa até o fim de seu contrato em 2022, na data da reunião anual com acionistas. Enquanto o CTO Parag Agrawal assume o cargo de CEO (também entrando pro conselho), Bret Taylor foi nomeado como presidente no lugar de Patrick Pichette. Agrawal está na empresa já há uma década e atua na posição anterior desde 2017.

Em declaração oficial, Dorsey escreve que optou pela saída por “acreditar que a companhia está pronta para seguir em frente sem seus fundadores” e diz que Agrawal está no “seu momento de liderar”. Você pode conferir o comentário na íntegra abaixo:

Agrawal também anunciou a mudança em seu perfil, agradecendo às palavras de Dorsey e compartilhando memorando que enviou aos funcionários na manhã de hoje.

A notícia é uma surpresa dado que Dorsey vem estabelecendo metas longevas para a empresa desde o início do ano, quando a rede social anunciou novidades como o Super Follow e as comunidades. O próprio fomento do Spaces era sinal de que o atual CEO aparentava não ter planos próximos de saída do negócio.

Além do comentário, Dorsey na noite do último domingo (28) tuitou que “ama o Twitter” em sua conta pessoal.

No comando efetivo da plataforma desde que retornou ao posto em 2015, Dorsey desde sempre encontra resistência entre os acionistas do Twitter por também servir de CEO da Square, uma jornada dupla que alguns veem como problemática para tocar uma rede social tão grande quanto a da empresa. Além de ter sido chutado do cargo em 2008, o executivo também sobreviveu recentemente a uma manobra de afastamento pela Elliott Management, investidora que no ano passado tentou divorciá-lo da companhia por preocupação com a performance da companhia sob sua tutela.

Ainda que Dorsey tenha fechado um acordo, o caso gerou um comitê no conselho para “avaliar o plano de sucessão do CEO” quando chegasse a hora – mais um desses sinais da mudança abrupta de mentalidade.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link