Startup israelense desenvolve bife à base de plantas "impresso" em 3D para restaurantes da Europa
Imagem: Reprodução Redefine Meat

Startup israelense desenvolve bife à base de plantas “impresso” em 3D para restaurantes da Europa

Todos os produtos da Redefine Meat são isentos de antibióticos, colesterol e de organismos geneticamente modificados

por Carolina Firmino

Derivados de couve-flor e cogumelos já não são as únicas opções nos cardápios veganos faz tempo. Isso porque os alimentos feitos em laboratório prometem a aparência, o sabor e o cozimento semelhantes à carne animal. Não só prometem, mas cumprem!

Recentemente, a Redefine Meat, uma startup israelense de tecnologia, desenvolveu um bife à base de plantas “impresso” em 3D. Agora, já consolidado, o produto está se expandindo para restaurantes na Europa, com presença em Londres, Berlim e Amsterdã, incluindo os estabelecimentos do famoso chef Marco Pierre White.

Esses bifes são impressos com “tintas” à base de plantas para criar músculos, gorduras e sangue semelhantes à estrutura e às fibras musculares da carne bovina real. No entanto, os materiais usados ​​são o grão-de-bico, a beterraba, a proteína da soja e da ervilha, além de gordura de coco. 

Segundo o site Design Taxi, todos os produtos da Redefine Meat são isentos de antibióticos, colesterol e de organismos geneticamente modificados (OGM).

Os bifes vegetais custarão entre o equivalente a 26 e 39 dólares, correspondendo à faixa de preço das carnes de origem animal. O corte também é o mesmo do bife bovino, mas o cliente pode solicitar as versões hambúrguer, kebab de cordeiro, salsicha e até carne moída. A intenção é que essa variedade aumente.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link