Sem concorrência, "Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa" se torna 3° maior estreia de todos os tempos na bilheteria
Imagem: Divulgação

Sem concorrência, “Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa” se torna 3° maior estreia de todos os tempos na bilheteria

Filme fez US$ 587,2 milhões ao redor do globo, mas questões como recorde de ocupação no circuito nacional e o mau desempenho de outros lançamentos no exterior mantém preocupação

por Pedro Strazza

Nota atualizada às 13h40 com novas informações da bilheteria estadunidense.

Não teve pra ninguém, literalmente: nesse último fim de semana, “Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa” se tornou a terceira maior estreia da história na bilheteria global, vencendo até mesmo as preocupações da atual pandemia e da variante ômicron. O filme da Sony Pictures e do Marvel Studios acumulou US$ 587,2 milhões nestes primeiros quatro dias de exibição, um número que é inferior apenas aos desempenhos iniciais de “Vingadores: Guerra Infinita” (US$ 640,6 milhões) e “Vingadores: Ultimato” (US$ 1,223 bilhão) – e que não conta com a China, onde ainda está para ser lançado.

Nos Estados Unidos, a Sony afirma ao Deadline que o filme se tornou a segunda maior bilheteria de estreia da história dos EUA, com seus US$ 260 milhões ficando atrás apenas dos US$ 357,1 milhões gerados por “Ultimato” em seu lançamento.

Já no Brasil, a produção chegou a R$ 103,7 milhões nos primeiros 4 dias de lançamento e é desde já o maior lançamento da história do país. De acordo com o Comscore, foram R$ 34 milhões em faturamento só na combinação dos dias de pré-estreia e estreia.

Os recordes naturalmente despertam otimismo no circuito exibidor, sobretudo por acontecer depois de um ano e meio de crises geradas pela pandemia do coronavírus. De acordo com o The Hollywood Reporter, só nos EUA “Sem Volta Para Casa” é o primeiro lançamento deste momento que passa a faixa dos US$ 100 milhões em sua semana inaugural nos cinemas, com sua bilheteria local de US$253 milhões tendo arrecadado mais que qualquer outra estreia no ano no circuito estadunidense – só para se ter uma ideia do estrago, o líder da bilheteria no país em 2021 até então era “Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis” com um total de US$ 224,5 milhões.

Ainda assim, o desempenho maciço da continuação não sinaliza também um reavivamento do circuito como um todo. Enquanto no Brasil a questão da ocupação quase que total das salas pelo filme desperta discussões já há alguns dias – de acordo com o Terra, calcula-se que 96% do circuito esta semana seja de exibições de “Sem Volta Para Casa” – nos EUA o ponto de preocupação é o desempenho de todos os outros filmes em cartaz, em particular “O Beco do Pesadelo”. A Variety reporta que o novo longa-metragem de Guillermo del Toro terminou o fim de semana amargando a quinta posição do ranking norte-americano, com pífios US$ 3 milhões arrecadados em 2.145 salas espalhadas pelo país e em cima de um orçamento de US$ 60 milhões.

O resto da oferta segue na mesma toada no país. Prestes a entrar no Disney+, a animação “Encanto” fechou domingo com US$ 6,5 milhões e a segunda posição do ranking; com 67% de queda na arrecadação de uma semana pra outra, o “Amor, Sublime Amor” de Steven Spielberg fez mero US$ 3,4 milhões e ficou com a terceira posição, empatado com “Ghostbusters: Mais Além”. A mensagem parece mais clara do que nunca: se você não é um blockbuster baseado em quadrinhos de super-herói, o circuito e os distribuidores não tem lugar para te encaixar nas telonas.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link