Diversa Beleza: Grupo Boticário vai excluir termos "normal" e "perfeito" dos produtos para privilegiar diversidade
Imagem: Divulgação

Diversa Beleza: Grupo Boticário vai excluir termos “normal” e “perfeito” dos produtos para privilegiar diversidade

Decisão faz parte de reorganização da comunicação das marcas da empresa para combater estereótipos do mercado de beleza

por Pedro Strazza

O Grupo Boticário anunciou nesta segunda-feira (24) a criação do Diversa Beleza, movimento que vai buscar combater estereótipos do mercado de beleza e da publicidade voltada ao segmento. Válido para todo o portfólio de marcas da companhia, que inclui O Boticário, Quem Disse, Berenice?, Eudora, Vult, O.U.I. e a Australian Gold, o projeto entre outras medidas marca a remoção de termos que impõem padrões em todos os produtos vendidos pela fabricante até o começo de 2024. Em outras palavras, os termos “perfeito” e “normal” estão sendo oficialmente retirados dos rótulos de todos os itens do grupo.

A iniciativa faz parte da jornada do Grupo Boticário para reforçar o ESG (environmental, social and corporate governance) de sua empresa, o qual persegue ativamente desde o início de 2021, quando lançou uma carta com 16 compromissos para o futuro. Dentro disso, a reestruturação da comunicação acontece para melhor contemplar a diversidade e impedir a formulação de padrões estéticos entre seus clientes. “Acreditamos muito na potência do movimento e da importância de debatermos e questionarmos os estereótipos de beleza”, explica Renata Gomide, diretora executiva de marketing da companhia; “A retirada fortalece a nossa trajetória acerca da diversidade até aqui e, mais do que isso, aponta o caminho que queremos percorrer em direção ao futuro”.

Não é a primeira vez que o grupo trabalha com uma reformulação do tipo, vale notar. Em 2020, o Grupo Boticário já havia eliminado o termo “clareamento” de sua comunicação por conta das questões racistas envolvidas no seu uso.

Além dos esforços de comunicação, a empresa também firmou parceria com a consultoria 65|10 para lançar a terceira edição do Mulheres (In)Visíveis, banco de imagens que busca contemplar a diversidade de tipos de pele para além dos tons. A intenção, segundo Gomide, é dar protagonismo a condições como acne e melasma e falar sobre amor e aceitação no processo: “Sabemos do nosso papel frente ao mercado de beleza e queremos, cada vez mais, representar uma beleza livre de estereótipos por meio de nossas marcas, campanhas e ações. Queremos incentivar o autocuidado e o autoconhecimento em busca de um bem-estar feminino, que celebre não apenas a singularidade de cada uma, mas todos os atributos que não dizem respeito à aparência”.

O banco de imagens será produzido pela fotógrafa cearense Karla Brights e conta com envolvimento da produtora Silva, previsto para ser lançado em março deste ano com 50 peças disponíveis para download.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link