NBC 2010: Campfires, ganhadores da promoção e 30% de desconto

NBC 2010: Campfires, ganhadores da promoção e 30% de desconto

por Carlos Merigo

NBC Brainstorm #9

Passou rápido desde o primeiro post sobre o evento, pois o New Brand Communication 2010 já vai ser na semana que vem. Na FAAP, em São Paulo, nos dias 13 e 14 de setembro.

Falamos sobre alguns dos principais palestrantes aqui no Brainstorm #9, que são: Rob Siefker da Zappos, Matt Smith da The Viral Factory, David Eriksson da North Kingdom, Julia Gomez da JetBlue, Jeremy Faludi da Stanford University, Robert Riccardi e Gareth Kay da Goodby, Silverstein & Partners e Jeremy Heimans da Purpose.

Veja a programação completa no site: nbc10.com.br

NBC 2010

Ingressos

Você ainda pode comprar ingressos para o NBC 2010 com o desconto especial de 30% oferecido pelo Brainstorm #9 – e de R$ 650 paga apenas R$ 450.

Acesse a área de ingressos no site do evento e selecione a opção 2 “Promoção Brainstorm #9”.

Campfires

Além de acompanhar as palestras e participar dos debates, nós do Brainstorm #9 estaremos lá organizando três campfires que acontecerão em paralelo. São grupos de discussão fechados, de no máximo 15 pessoas, com a participação de alguns dos palestrantes e convidados.

No dia do evento, você também pode se inscrever para participar de um desses campfires, mas lembre-se que as vagas são bem limitadas. Chegue cedo e demonstre interesse.

| A Internet não é só online: Do mundo digital para o mundo físico
(Dia 13/09 – 9h30 as 11h00)
Começa a pintar conteúdo online que depois viram uma festa, um flashmob, ou qualquer outra coisa no mundo físico… e depois volta tudo para a internet. Músicos descobrem que liberando o MP3 de graça eles vendem ingressos para seus shows. O Twitter fez com que as pessoas saíssem de casa e fossem se encontrar. Isso é regra ou exceção?

| A TV, o jornal e a web morreram!
(Dia 14/09 – 11h30 as 13h00)
Cada dia alguém decreta a morte de uma mídia ou de um formato. Muitos novos serviços online são sempre taxados de modinha antes mesmo de terem uma chance de mostrar a que vieram. É tudo futilidade ou somos todos ranzinzas?

| Você já chamou o seu público para brincar?
(Dia 14/09 – 14h30 as 16h00)
Serviços como o Foursquare mostram que colocando algum elemento de jogo ou brincadeira sempre ajuda a viralizar uma ideia. É possível aplicar a teoria dos jogos a qualquer objeto de comunicação? A brincadeira tem lugar em conteúdo sério?

Perguntas vencedoras

Os leitores do Brainstorm #9 foram convocados a enviar perguntas para os palestrantes. A mais votada de cada post, ganhava um ingresso para o NBC 2010. Confira quais foram:

| Pergunta para Robert Riccardi e Gareth Kay da Goodby, enviada por Daniel Castro

Nota-se que mais e mais consumidores estão considerando e passando a adotar uma marca quando ela agrega algum valor a sua vida e é relevante a si, vemos diariamente o esforço de grandes marcas buscando o engajamento com seus consumidores através de formas na maioria das vezes inéditas e de grande impacto, mas após engajar, o que você acredita que é importante para manter este consumidor fiel e não perde-lo?

| Pergunta para David Ericksson da North Kingdom, enviada por Pablo Aguilera

Muitos projetos e campanhas extrapolam alguns limites, o limite daquilo que ainda nao imaginamos ou que se quer poderiamos pensar até o momento. Mas, nos deparamos às vezes com barreiras de uma ética ou mesmo a crítica. Dessa forma, como fica a nossa liberdade criativa? Ela tem limites?

| Pergunta para Matt Smith da Viral Factory, enviada por Tiago_ast

Atualmente há uma previsão de que o comércio on line irá se integrar, cada vez mais, aos formatos de mídias sociais.Inevitavelmente, elas vem ditando para as empresas novas regras de abordagem e acesso aos seus consumidores.Diante disto, quais são as previsões para estas oportunidades e como é possível identificar a melhor forma de definir o que é correto para criar este relacionamento empresa/cliente?

| Pergunta para Rob Siefker da Zappos, enviada por Ana Luiza Decloedt

Nem sempre os interesses comerciais estão em acordo com os interesses do consumidor (por mais que este não se dê conta). Como podemos evitar que eles sejam contraditórios? E como explicar para um empresário que estes interesses não precisam ser contraditórios?

É isso. Nos vemos por lá.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link