Uma gôndola minimalista

Uma gôndola minimalista

por Rodrigo Franco

Você concordaria que uma gôndola de supermercado é algo visualmente poluído? O pessoal da Antrepo parece ter concluído algo nesse sentido e criou uma série conceitual de embalagens para marcas conhecidas desconstruindo as embalagens atuais. Na verdade, o que eles fizeram foi simplificar, bem ao estilo de seus trabalhos.

A ideia consiste em 3 “passos”, segundo os designers: 1. embalagem original, 2. embalagem simples e 3. embalagem mais simples ainda.

O resultado, visualmente, fica bem bonito. É aquela história do “menos é mais”; muita gente, (inclusive eu, na maioria dos casos) prefere um design limpo. O sonho dos designers: valorizar a embalagem, dar destaque para o logotipo, mostrando só o que interessa. O argumento é de que menos informação em uma hora tão delicada quanto a escolha do produto seja um fator decisivo.

Mas, em se trantando de gôndola, talvez as embalagens não sejam como são à toa. Fiz uma montagem bem tosca só para simular as embalagens minimalistas lado a lado, mesmo sem levar em conta que são produtos de categorias diferentes. Se as embalagens fossem todas assim, a escolha na hora da compra, aquela que dura segundos e é dirigida muito pelo subconsciente, seria impactada principalmente pela cor predominante e pela forma da embalagem. Em casos de embalagens parecidas, talvez houvesse confusão e o consumidor fosse direto naquela que, aparentemente, lhe promete mais: a que tem o visual mais carregado. Daí voltamos ao começo do post.

Compartilhe: